Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.439,37
    -2.354,91 (-2,07%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.307,71
    -884,62 (-1,69%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,96
    -0,65 (-0,90%)
     
  • OURO

    1.753,90
    -2,80 (-0,16%)
     
  • BTC-USD

    47.587,80
    -402,60 (-0,84%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.193,48
    -32,05 (-2,62%)
     
  • S&P500

    4.432,99
    -40,76 (-0,91%)
     
  • DOW JONES

    34.584,88
    -166,44 (-0,48%)
     
  • FTSE

    6.963,64
    -63,84 (-0,91%)
     
  • HANG SENG

    24.920,76
    +252,91 (+1,03%)
     
  • NIKKEI

    30.500,05
    +176,71 (+0,58%)
     
  • NASDAQ

    15.530,00
    +12,25 (+0,08%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1994
    +0,0146 (+0,24%)
     

Venezuela receberá 3,2 milhões de doses de Sinopharm e Sinovac pelo Covax

·2 minuto de leitura
Professora recebe dose da vacina do laboratório chinês Sinopharm em 8 de março

A Venezuela receberá cerca de 3,2 milhões de doses das vacinas chinesas anticovid Sinopharm e Sinovac em uma primeira de duas parcelas previstas para serem entregues pelo mecanismo Covax, anunciou nesta quarta-feira (4) um funcionário da Opas, escritório regional da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Ciro Ugarte, diretor de Emergências Sanitárias da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas), revelou que "entre hoje (4 de agosto) e setembro" cerca de 2,6 milhões de doses da vacina Sinopharm e cerca de 600 mil doses da Sinovac serão enviadas à Venezuela.

As chinesas Sinopharm e Sinovac, ambas de duas doses, receberam luz verde da OMS em maio e junho, respectivamente, para uso emergencial.

“Essas vacinas foram autorizadas pela Venezuela (...) de forma que o Fundo Rotativo da Opas possa fazer esses envios de acordo com a disponibilidade de vacinas do mecanismo Covax”, explicou Ugarte em entrevista coletiva.

“Posteriormente, a Venezuela receberá vacinas adicionais da Sinopharm para completar até 5 milhões de doses dessa vacina”, acrescentou.

Espera-se que essas 2,4 milhões de doses da vacina Sinopharm cheguem à Venezuela no quarto trimestre do ano.

A Opas facilita as aquisições e entregas do mecanismo Covax nas Américas, uma iniciativa da OMS, da Aliança GAVI e da Coalizão para Preparação contra Epidemias (CEPI) criada para fornecer um acesso global equitativo às vacinas anticovid.

Ugarte disse que a Opas também está atenta à evolução na Venezuela da variante Delta do vírus, cuja presença no país foi informada pela primeira vez em 25 de julho pelo presidente Nicolás Maduro.

“A detecção da variante Delta na Venezuela é de fato um motivo de preocupação para o país”, afirmou.

“Estamos vendo uma presença em vários Estados”, acrescentou, afirmando estarem trabalhando com as autoridades “para poder acompanhar os casos e implementar as ações necessárias”.

ad/dga/am

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos