Mercado fechado

Venezuela denuncia Bolsonaro na ONU por negligência na pandemia da Covid-19

O embaixador venezuelano afirma que o regime de Maduro tem tido “profunda preocupação” com o volume de casos confirmados de Covid-19 no Brasil. (Foto: REUTERS/Ueslei Marcelino)

O governo da Venezuela denunciou o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) na ONU (Organização das Nações Unidas) acusando-o de negligência frente à pandemia do novo coronavírus. A denúncia feita na segunda-feira (15) pelo regime de Nicolas Maduro partiu do embaixador da Venezuela na ONU, Samuel Moncada.

Segundo a carta enviada ao secretário-geral da organização, António Guterres, a Venezuela classificou a atuação de Bolsonaro como irresponsável e destacou sua “negligência criminal” com a pandemia.

Leia também

O embaixador venezuelano afirma na carta que o regime de Maduro tem tido “profunda preocupação” com o volume de casos confirmados de Covid-19 no Brasil, com destaque para os estados de Amazonas e Roraima, que fazem fronteira com a Venezuela.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

“Um fator que causa profunda preocupação a nossa nação é a porcentagem de casos confirmados de Covid-19 na população dos estados fronteiriços brasileiros do Amazonas e Roraima, onde há uma intensa transmissão comunitária do vírus. Em 15 de junho, por exemplo, todos os registros da Venezuela 3.062 casos confirmados, enquanto apenas os dois estados fronteiriços do Brasil tem mais de 62.000 casos confirmados”, alega Moncada.

Em seguida, o representante venezuelano na ONU elenca três “alarmantes atuações” do governo Bolsonaro durante a pandemia.

  • Negação da severidade da pandemia: citando os discursos feitos pelo presidente de que a doença era um “resfriadinho” ou uma “gripezinha”, além da ida de Bolsonaro e ministros à manifestação em Brasília no dia 18 de maio


  • Falta de uma política pública coerente para conter a pandemia: denunciando que o governo demitiu dois ministros da Saúde que apelaram que o bom senso que deve prevalecer contra calamidades como a provocada pela Covid-19. “É claro que estamos diante de um chefe de Estado e governo que intencionalmente impede, com abuso de autoridade, a salvação da vida de seu próprio povo”, diz Moncada


  • Ameaças ao multilateralismo: relembrando quando Bolsonaro ameaçou retirar o Brasil da OMS (Organização Mundial da Saúde), a exemplo do que disse Donald Trump, nos Estados Unidos. “Hoje, mais do que nunca, essa pandemia mostrou que a solidariedade cooperação internacional e multilateral são essenciais, tanto para economizar vidas para proteger as realizações da humanidade nos últimos século”, completa o embaixador.

“À luz do exposto, podemos afirmar, sem medo de estar errado, que hoje o presidente Jair Bolsonaro e seu governo se tornaram o pior inimigo do esforços para sair vitorioso da pandemia do COVID-19 na região das Américas, América Latina e Caribe”, finaliza o governo venezuelano, em seu pedido.