Mercado abrirá em 1 h 50 min
  • BOVESPA

    122.515,74
    +714,95 (+0,59%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.869,48
    +1,16 (+0,00%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,60
    +0,34 (+0,48%)
     
  • OURO

    1.813,70
    -8,50 (-0,47%)
     
  • BTC-USD

    38.711,80
    -814,01 (-2,06%)
     
  • CMC Crypto 200

    941,04
    -19,86 (-2,07%)
     
  • S&P500

    4.387,16
    -8,10 (-0,18%)
     
  • DOW JONES

    34.838,16
    -97,31 (-0,28%)
     
  • FTSE

    7.106,67
    +24,95 (+0,35%)
     
  • HANG SENG

    26.194,82
    -40,98 (-0,16%)
     
  • NIKKEI

    27.641,83
    -139,19 (-0,50%)
     
  • NASDAQ

    14.972,75
    +20,00 (+0,13%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1521
    +0,0080 (+0,13%)
     

Venezuela anuncia compra de 12 milhões de doses de candidata a vacina anticovid de Cuba

·2 minuto de leitura
(Arquivo) A vacina cubana Abdala, em Havana

O governo venezuelano anunciou nesta quinta-feira (24) que assinou um "contrato de fornecimento" de 12 milhões de doses da Abdala, vacina candidata cubana contra a covid-19, que, segundo o laboratório que a desenvolveu, tem eficácia de 92% e aguarda a aprovação da OMS.

"Queríamos agradecer que esta vacina seja incorporada ao processo de imunização e ao plano de vacinação da Venezuela e assinamos contrato para o fornecimento de 12 milhões de vacinas Abdala, que estaremos recebendo nos próximos meses", anunciou a vice-presidente, Delcy Rodríguez.

Delcy recebeu no aeroporto internacional de Maiquetía, que atende a Caracas, um primeiro lote de 30.000 doses, cobrindo uma população de 10.000 pessoas, sendo necessárias três aplicações.

“Esta é essencialmente uma doação que Cuba faz ao nosso país irmão”, disse Eulogio Pimentel, vice-presidente da BioCubaFarma, empresa farmacêutica estatal responsável pela Abdala, em coletiva de imprensa em Havana. Esse primeiro lote que chegou à Venezuela não faz parte dos 12 milhões de vacinas acordadas, esclareceu Pimentel.

Em 21 de junho, a farmacêutica BioCubaFarma anunciou que a vacina candidata fabricada por Cuba tem uma eficácia de mais de 92%, sendo o primeiro imunizante contra o novo coronavírus criado na América Latina.

Autoridades científicas da ilha informaram no fim de semana passado que a Soberana 2, sua outra candidata no combate à pandemia de covid-19, completou suas três fases de teste e alcançou uma eficácia de 62% com duas doses, das três existentes nos imunizantes desenvolvidos em Cuba.

Nem a Abdala, nem a Soberana 2, receberam ainda a aprovação da Organização Mundial da Saúde (OMS) ou da autoridade reguladora cubana, mas ambas estão sendo administradas à população da ilha.

A Venezuela, que espera vacinar 70% de sua população de 30 milhões de habitantes este ano, iniciou em fevereiro a aplicação das vacinas Sputnik V e Sinopharm. O governo também negocia a aquisição de vacinas por meio do sistema Covax, da OMS.

mbj-ka-jt/ll/bn/ap/lb

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos