Mercado abrirá em 4 h 4 min

'Vendi o caminhão e vim para Portugal': alta do diesel e inflação levam caminhoneiro a sair do país

Reinaldo Moretti na frente de caminhão, em Portugal
O caminhoneiro Reinaldo Moretti diz ter se mudado para Portugal após constantes altas do diesel e problemas econômicos no Brasil

Aumento no preço do diesel, inflação e consequente queda acentuada do poder de compra. Esses foram os principais motivos que fizeram o caminhoneiro Reinaldo Moretti, de 53 anos, deixar a cidade mineira de Extrema, na divisa com São Paulo, e se mudar para Portugal há sete meses.

"Eu tinha um caminhão no Brasil, mas ele estava me fazendo só afundar em dívidas. Mesmo sem gastar dinheiro à toa e sem ter vícios, eu pagava muito caro pelo diesel e para fazer a manutenção do veículo. Pensei que eu precisava me desfazer do caminhão o quanto antes. Caso contrário, não teria dinheiro nem para reformar o motor dele, que custa em torno de R$ 40 mil", diz.

Reinaldo não pensou duas vezes antes de trocar de país.

"Eu desanimei e me desfiz do caminhão para vir para Portugal. Usei o dinheiro para pagar todas as contas e dívidas. Depois da venda, fui trabalhar como empregado em uma empresa, carregando leite, até conseguir viajar", afirma.

Se Reinaldo ainda estivesse no Brasil, levaria um novo susto. A Petrobras anunciou o aumento do preço do diesel em 8,87% a partir desta terça-feira (10/5), o que significa uma mudança de 40 centavos no litro do combustível vendido pelas refinarias — de R$ 4,51 para R$ 4,91.

O aumento ocorre menos de dois meses após a última alta, em 11 de março, quando o litro do combustível ficou 90 centavos mais caro.

Para o consumidor final — como caminhoneiros, transportadores de passageiros em coletivos e outros - o reajuste deve chegar nas bombas aproximadamente na metade, com uma alta de cerca de 4,5%.

O presidente da Associação Brasileira de Condutores de Veículos Automotores (Abrava), Wallace Landim, o Chorão, afirmou em vídeo que está "indignado".

"Gente, não podemos ficar quietos. Eu conheço e sei o quanto vai impactar na mesa do trabalhador", diz.

Visto como um dos principais líderes dos caminhoneiros, após a greve de 2018, ele afirmou ainda, por meio de nota, que "os produtos transportados pelos caminhoneiros vão subir no dia seguinte". E finalizou o vídeo dizendo que os brasileiros precisam "fazer alguma coisa".

Reinaldo Moretti na frente da Torre de Belém, em Portugal
Reinaldo diz que mudança para Portugal foi motivada pela qualidade de vida e melhor salário

Retorno a Portugal

O caminhoneiro Reinaldo conta à BBC News Brasil que já tinha morado em Portugal, de 2001 a 2005, e voltou ao Brasil na época por problemas familiares.

Agora, ele voltou para Portugal depois da filha, do genro e da neta. E hoje diz que o Brasil foi um bom lugar para se morar até 2010, quando começou a "dar uma caída".

"Naquela época, a economia estava boa e aproveitei para comprar um caminhão. Mas depois foi só afundando (a economia). Como tenho amigos que moram aqui na Espanha, Itália, Holanda e Inglaterra, eles sempre falavam para eu voltar", lembra.

Os amigos também usavam a diferença cambial como argumento para que Reinaldo se mudasse para Portugal.

O caminhoneiro disse ter sido convencido, mas conta que os documentos que ele usava na primeira passagem pela Europa estão vencidos. Isso faz com que ele ganhe menos porque, sem eles, não tem permissão para sair de Portugal.

Ainda assim, ele prefere se arriscar a ficar parado na cidade de Braga, onde mora. Apenas no último mês, conta ter sido multado duas vezes. A soma das infrações foi de 1.100 euros, o equivalente a R$ 6 mil.

"Por isso, estou trabalhando no doméstico e me arriscando. Uma das multas que levei foi por não ter o curso obrigatório para caminhoneiros. A outra foi não ter cartão tacógrafo, exigido para que os caminhoneiros registrem as horas trabalhadas", afirma.

Reinaldo Moretti ao lado de moto
Reinaldo disse que hoje tem uma vida muito melhor do que tinha no Brasil

Retorno ao Brasil

Para Reinaldo, a vida em Portugal é muito melhor quando comparada à que ele tinha no Brasil.

"Um casal que trabalha aqui consegue ter uma vida muito melhor. Come-se bem. Mas quem vem sem emprego garantido precisa estar programado. É necessário trazer bastante dinheiro porque o custo de vida é alto. E meu conselho é vir para ficar legalizado porque é chato demais passar por uma situação dessa. Não posso nem fazer uma entrega internacional sob o risco de ser preso."

Reinaldo Moretti em Portugal
Reinaldo diz que pretende voltar ao Brasil para rever a mulher dele

Ele conta que transportar uma carga entre países é muito mais rentável e o valor do frete pode até dobrar. Ele ainda disse que o transporte internacional obedece a leis trabalhistas mais rígidas, como trabalhar apenas 9 horas por dia e folgar no fim de semana.

Mas por mais que ele goste de viver em Portugal, Reinaldo diz que sente vontade de voltar para o Brasil por conta da saudade.

"A minha esposa está no Brasil. Falta um ano e meio para ela se aposentar e os pais dela também vivem lá. Eu tenho muitos (fatores) que me fazem querer voltar para o Brasil."

Sabia que a BBC está também no Telegram? Inscreva-se no canal.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos