Mercado fechado
  • BOVESPA

    105.069,69
    +603,45 (+0,58%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.597,29
    -330,09 (-0,65%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,22
    -0,28 (-0,42%)
     
  • OURO

    1.782,10
    +21,40 (+1,22%)
     
  • BTC-USD

    49.049,35
    -3.938,15 (-7,43%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.367,14
    -74,62 (-5,18%)
     
  • S&P500

    4.538,43
    -38,67 (-0,84%)
     
  • DOW JONES

    34.580,08
    -59,71 (-0,17%)
     
  • FTSE

    7.122,32
    -6,89 (-0,10%)
     
  • HANG SENG

    23.766,69
    -22,24 (-0,09%)
     
  • NIKKEI

    28.029,57
    +276,20 (+1,00%)
     
  • NASDAQ

    15.687,50
    -301,00 (-1,88%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3953
    +0,0151 (+0,24%)
     

Vendas pendentes de moradias nos EUA caem inesperadamente em setembro

·1 min de leitura
Casa à venda em Encinitas, Califórnia, EUA

WASHINGTON (Reuters) - Os contratos para compra de moradias usadas nos Estados Unidos caíram inesperadamente em setembro, provavelmente porque alguns potenciais compradores adiaram as aquisições em meio a preços mais elevados.

A Associação Nacional de Corretores (NAR, na sigla em inglês) informou nesta quinta-feira que seu Índice de Vendas Pendentes de Moradias, com base em contratos assinados no mês passado, diminuiu 2,3% para 116,7. As vendas pendentes de moradias caíram em todas as quatro regiões dos EUA.

Economistas consultados pela Reuters previam que os contratos imobiliários, que se transformam em vendas depois de um ou dois meses, ficariam inalterados. As vendas pendentes de moradias caíram 8,0% em setembro em comparação com um ano atrás. A escassez nos estoques levou a um crescimento de dois dígitos nos valores das casas.

"Alguns potenciais compradores interromperam momentaneamente a busca por uma casa com a intenção de retomar em 2022", disse Lawrence Yun, economista-chefe da NAR.

A demanda por moradias aumentou no início da pandemia de coronavírus por um êxodo de áreas centrais de cidades para os subúrbios e outras regiões de baixa densidade, à medida que os norte-americanos buscavam acomodações mais espaçosas para o home office e ensino remoto. Essa demanda está diminuindo conforme os trabalhadores retornam aos escritórios e as escolas são reabertas para o aprendizado presencial, graças à vacinação contra a Covid-19.

O alto custo das casas está afastando do mercado os compradores de primeira viagem. A NAR informou na semana passada que a parcela de compradores de primeira viagem em setembro foi a menor desde julho de 2015.

(Por Lucia Mutikani)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos