Mercado fechado
  • BOVESPA

    109.786,30
    +2.407,38 (+2,24%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    42.736,48
    +469,28 (+1,11%)
     
  • PETROLEO CRU

    44,80
    +1,74 (+4,04%)
     
  • OURO

    1.806,20
    -31,60 (-1,72%)
     
  • BTC-USD

    18.849,16
    +397,20 (+2,15%)
     
  • CMC Crypto 200

    374,04
    +4,28 (+1,16%)
     
  • S&P500

    3.635,41
    +57,82 (+1,62%)
     
  • DOW JONES

    30.046,24
    +454,97 (+1,54%)
     
  • FTSE

    6.432,17
    +98,33 (+1,55%)
     
  • HANG SENG

    26.588,20
    +102,00 (+0,39%)
     
  • NIKKEI

    26.165,59
    +638,22 (+2,50%)
     
  • NASDAQ

    12.092,50
    +187,25 (+1,57%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3970
    -0,0433 (-0,67%)
     

Vendas no varejo recuam 7,7% em outubro, mostra ICVA

Por Paula Arend Laier
·1 minuto de leitura
Comércio no Rio de Janeiro
Comércio no Rio de Janeiro

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - As vendas no varejo brasileiro caíram 7,7% em outubro ante o mesmo período de 2019, mostrou o Índice Cielo do Varejo Ampliado (ICVA), que acompanha mensalmente a evolução de 1,5 milhão de varejistas credenciados à empresa de meios de pagamentos.

Em termos nominais, que espelham a receita de vendas observadas pelo varejista, a queda foi de 1,6%.

Apesar do recuo ano a ano, foi o sétimo mês seguido de recuperação, com setores como alimentação e veterinárias e pet shops entre os destaques positivos, enquanto materiais de construção e automotivo apresentaram desaceleração.

Em setembro, as vendas reais caíram 7,9%, e as vendas nominais contraíram 3,5%,

"O ritmo de recuperação do varejo diminuiu em outubro, apesar dos segmentos mais afetados no começo da pandemia, como Bares e Restaurantes, e Turismo e Transporte, continuarem mostrando redução nas quedas", disse superintendente-executivo de Inteligência da Cielo, Gabriel Mariotto.

"Os setores que mais contribuíram para o abrandamento da recuperação foram os que até setembro cresciam bem acima da média, como Supermercados e Hipermercados e Materiais para Construção", acrescentou.