Mercado abrirá em 1 h 16 min
  • BOVESPA

    109.068,55
    -1.120,02 (-1,02%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.725,96
    -294,69 (-0,58%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,48
    +0,47 (+0,65%)
     
  • OURO

    1.794,90
    -3,10 (-0,17%)
     
  • BTC-USD

    16.826,81
    +3,43 (+0,02%)
     
  • CMC Crypto 200

    395,15
    -6,88 (-1,71%)
     
  • S&P500

    3.933,92
    -7,34 (-0,19%)
     
  • DOW JONES

    33.597,92
    +1,58 (+0,00%)
     
  • FTSE

    7.484,46
    -4,73 (-0,06%)
     
  • HANG SENG

    19.450,23
    +635,41 (+3,38%)
     
  • NIKKEI

    27.574,43
    -111,97 (-0,40%)
     
  • NASDAQ

    11.539,50
    +30,00 (+0,26%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4745
    +0,0081 (+0,15%)
     

Vendas no varejo e produção industrial na Alemanha caem em agosto por inflação

Mercado em Essen, Alemanha

BERLIM (Reuters) - Dados divulgados nesta sexta-feira mostraram o peso da inflação na economia alemã, com um aumento nos preços de importação e quedas na produção industrial e nas vendas no varejo, ampliando os sinais de que a maior economia da Europa está caminhando para a recessão.

Os preços de importação de energia subiram 162,4% em agosto em comparação com o mesmo mês em 2021, com os preços do gás natural disparando 306,3% na base anual, uma vez que a guerra da Rússia contra a Ucrânia continuava a afetar os mercados europeus de energia.

Os dados do mês passado mostraram que a inflação alemã estava no seu ponto mais alto em mais de 25 anis em setembro, impulsionada principalmente pelos altos custos de energia.

Isso está perturbando a atividade em um setor industrial que já enfrenta problemas na cadeia de fornecimento e aumenta os custos para os varejistas, que têm tido dificuldades para repassá-los aos compradores que não têm dinheiro.

A produção industrial em agosto registrou uma queda mensal de 0,8%, o recuo mais acentuada desde março, o primeiro mês completo da invasão da Rússia na Ucrânia, disse a agência de estatísticas.

Enquanto isso, os consumidores estiveram particularmente relutantes em gastar com alimentos em agosto, disse a agência, com as vendas de alimentos no varejo caindo 1,7% no mês e 3,1% no ano.

"Quando olharem para suas carteiras, muitos consumidores continuarão a frear os gastos", disse Alexander Krueger, economista do banco privado Hauck Aufhaeuser.

O governo alemão projeta que a economia irá encolher 0,4% no próximo ano, disseram fontes à Reuters na quinta-feira, citando números provisórios. O governo deve divulgar as previsões na quarta-feira.

(Reportagem de Miranda Murray e Rene Wagner)