Mercado abrirá em 7 h 51 min
  • BOVESPA

    110.925,60
    -1.560,41 (-1,39%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.457,55
    -227,31 (-0,44%)
     
  • PETROLEO CRU

    81,31
    +0,09 (+0,11%)
     
  • OURO

    1.812,10
    -3,10 (-0,17%)
     
  • BTC-USD

    16.904,98
    -253,28 (-1,48%)
     
  • CMC Crypto 200

    400,42
    -5,73 (-1,41%)
     
  • S&P500

    4.076,57
    -3,54 (-0,09%)
     
  • DOW JONES

    34.395,01
    -194,76 (-0,56%)
     
  • FTSE

    7.558,49
    -14,56 (-0,19%)
     
  • HANG SENG

    18.629,10
    -107,34 (-0,57%)
     
  • NIKKEI

    27.726,95
    -499,13 (-1,77%)
     
  • NASDAQ

    12.022,75
    -40,00 (-0,33%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4655
    +0,0001 (+0,00%)
     

Vendas no varejo da zona do euro caem em agosto

Placa alerta para limite de capacidade de apenas 6 pessoas em loja de Landshut, na Alemanha

BRUXELAS (Reuters) - As vendas no varejo da zona do euro caíram em agosto, mostraram dados nesta quinta-feira, indicando fraqueza na demanda do consumidor e reforçando as expectativas de que uma recessão que se aproxima.

A agência de estatísticas da União Europeia, Eurostat, disse que as vendas no varejo nos 19 países que compartilham o euro caíram 0,3% em relação ao mês anterior, para uma queda de 2,0% na base anual.

Economistas consultados pela Reuters esperavam uma queda mensal de 0,4% e recuo de 1,7% na comparação anual.

A queda nas vendas no varejo, vista como referência da demanda do consumidor, reforça as expectativas dos economistas de que a zona do euro deverá entrar em recessão nos próximos trimestres, atingida pelo choque de preços de energia gerado pela invasão russa da Ucrânia.

A queda nas vendas em agosto ocorreu apesar do forte aumento no volume de vendas de combustíveis automotivos durante a temporada de festas, que cresceu 3,2% em relação ao mês anterior e 5,1% sobre o ano anterior, mas não conseguiu compensar a queda nas vendas de alimentos e bebidas e compras pela internet ou por correspondência.

As vendas no varejo de produtos não alimentícios em geral aumentaram 0,2% em agosto, embora tenham caído 3,0% em relação ao ano anterior.

(Reportagem de Jan Strupczewski)