Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.523,47
    -1.617,17 (-1,47%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    54.049,05
    +174,14 (+0,32%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,23
    -2,65 (-3,49%)
     
  • OURO

    1.877,70
    -53,10 (-2,75%)
     
  • BTC-USD

    23.323,62
    -91,83 (-0,39%)
     
  • CMC Crypto 200

    535,42
    -1,43 (-0,27%)
     
  • S&P500

    4.136,48
    -43,28 (-1,04%)
     
  • DOW JONES

    33.926,01
    -127,93 (-0,38%)
     
  • FTSE

    7.901,80
    +81,64 (+1,04%)
     
  • HANG SENG

    21.660,47
    -297,89 (-1,36%)
     
  • NIKKEI

    27.509,46
    +107,41 (+0,39%)
     
  • NASDAQ

    12.616,50
    -230,25 (-1,79%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5385
    +0,0488 (+0,89%)
     

Vendas no varejo crescem 1,3% em dezembro, segundo índice da Cielo

SÃO PAULO (Reuters) - As vendas no varejo brasileiro em dezembro cresceram 1,3%, descontada a inflação, em comparação com o mesmo mês de 2021, segundo dados da empresa de meios de pagamento Cielo divulgados nesta quinta-feira.

Em termos nominais, que espelham a receita de vendas observadas pelo varejista, o Índice Cielo do Varejo Ampliado (ICVA) registrou alta de 10,2%, afirmou a companhia.

A avaliação da Cielo é que o varejo perdeu parte do ritmo vigoroso observado meses atrás apesar de mostrar recuperação.

“O mês de dezembro marca o 14º seguido de crescimento das vendas. A cada mês que passa, a base de comparação do ano anterior está mais distante dos efeitos de quarentena, o que implica em crescimentos mais brandos do que vimos ao longo dos anos de 2021 e 2022, uma vez que estamos comparando períodos com normalidade da atividade econômica”, afirmou o superintendente de dados e inovação da Cielo, Vitor Levi, em comunicado da companhia.

A Cielo apurou que os setores de bens não duráveis e serviços registraram crescimento em relação a dezembro de 2021, mas bens duráveis e semiduráveis sofreram queda.