Mercado abrirá em 3 h 33 min
  • BOVESPA

    119.710,03
    -3.253,98 (-2,65%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.748,41
    -906,88 (-1,83%)
     
  • PETROLEO CRU

    64,40
    -1,68 (-2,54%)
     
  • OURO

    1.813,50
    -9,30 (-0,51%)
     
  • BTC-USD

    50.072,28
    -6.779,75 (-11,93%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.350,35
    -213,49 (-13,65%)
     
  • S&P500

    4.063,04
    -89,06 (-2,14%)
     
  • DOW JONES

    33.587,66
    -681,50 (-1,99%)
     
  • FTSE

    6.859,39
    -145,24 (-2,07%)
     
  • HANG SENG

    27.718,67
    -512,37 (-1,81%)
     
  • NIKKEI

    27.448,01
    -699,50 (-2,49%)
     
  • NASDAQ

    12.943,50
    -55,00 (-0,42%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4178
    +0,0123 (+0,19%)
     

Vendas de moradias usadas nos EUA caem em março para mínima de sete meses

·1 minuto de leitura
Placas sinalizam casas à venda na Carolina do Sul, nos EUA

WASHINGTON (Reuters) - As vendas de moradias usadas nos Estados Unidos caíram para uma mínima de sete meses em março, pressionadas por uma forte escassez de imóveis, o que está aumentando os preços.

As vendas de moradias usadas caíram 3,7% no mês passado, para uma taxa de 6,01 milhões de unidades, em dado ajustado sazonalmente, nível mais baixo desde agosto de 2020, informou nesta quinta-feira a Associação Nacional de Corretores.

Economistas consultados pela Reuters projetavam taxa de 6,19 milhão de unidades em março. O segundo mês seguido de perdas nas vendas foi marcado por forte recuo nos contratos assinados e nas solicitações de empréstimo para aquisição de casas em fevereiro.

As vendas de moradias usadas, que são contadas no fechamento de um contrato, têm defasagem de um mês ou dois em relação à assinatura do contrato. Isso significa que parte da queda nas vendas do mês passado deveu-se ao clima frio em fevereiro.

As revendas de moradias, que respondem pela maior parte das vendas de casas nos EUA, subiram 12,3% na comparação anual, permanecendo bem acima do nível pré-pandemia.

O mercado imobiliário está passando por uma escassez de imóveis disponíveis para venda, na esteira da forte demanda por casas maiores e mais caras depois que a Covid-19 forçou milhões de norte-americanos a trabalhar e estudar de casa.

(Reportagem de Lucia Mutikani)