Vendas de material de construção crescem 3,5% em 2012

As vendas de material de construção no comércio varejista atingiram R$ 55 bilhões em 2012 no País, volume que representa um crescimento de 3,5% sobre 2011, segundo números da Associação Nacional dos Comerciantes de Material de Construção (Anamaco), divulgados nesta quinta-feira. O crescimento de 3,5% no entanto ficou abaixo do registrado em 2011, de 4,5%, em relação ao ano de 2010. O valor de R$ 55 bilhões, porém, é o maior já registrado pelo setor em um único ano, informou a Anamaco.

Para 2013, a associação espera um crescimento mais forte, de 6,5%. Segundo o presidente da Anamaco, Cláudio Conz, o setor está otimista em relação ao desempenho deste ano em virtude das medidas de incentivo do governo e também devido ao calendário de eventos no País. "Estamos muito otimistas, principalmente por causa da manutenção da redução do IPI para os produtos do setor, das obras do Minha Casa, Minha Vida e dos eventos esportivos no País", disse o executivo em nota.

Conz lembra que também há expectativa de melhora no desempenho das linhas bancárias para financiamento das compras de materiais de construção para pequenas construções e reformas. "Reforma e construção demandam planejamento e todas essas ações vão ajudar a dar fôlego ao nosso desempenho".

De acordo com a pesquisa da Anamaco, as vendas de materiais no varejo ficaram estáveis em dezembro ante novembro, e cresceram 5,5% na comparação com o mesmo mês de 2011. Segundo Conz, a performance do setor no último mês de 2012 surpreendeu positivamente. Por ser um mês festivo, dezembro costuma apresentar vendas abaixo do verificado em outros meses. "Tivemos um mês de dezembro com desempenho de vendas similar a novembro. Além disso, o último trimestre do ano apresentou uma média de vendas superior aos demais trimestres", explicou o presidente da Anamaco.

A pesquisa da Anamaco mostrou ainda que, em dezembro, as vendas de materiais de acabamento mostraram desempenho melhor do que o de materiais de base, sinalizando uma demanda maior entre as obras que estão em reforma ou em fase final do que aquelas em fase inicial.

O setor de cimento registrou queda de 6,8% em dezembro na comparação com igual mês de 2011, enquanto tubos e conexões tiveram queda de 1,7% no mesmo período. Já os setores ligados a acabamento, como tintas, revestimentos cerâmicos, argamassas e rejuntes, metais sanitários e iluminação foram os que mais venderam em dezembro. "A época de férias influenciou de forma positiva as vendas do setor", disse Conz.

Carregando...