Mercado abrirá em 7 h 27 min

Vendas on-line pós-Black Friday somaram R$ 1,15 bilhão, diz Ebit-Nielsen

Gustavo Brigatto

Volume de pedidos no fim de semana seguinte à data comercial aumentou 30% em relação ao mesmo período de 2018, para 2,43 milhões O consumidor continuou aproveitando as promoções do varejo on-line ao longo do fim de semana, com os dois dias após o Black Friday movimentaram R$ 1,15 bilhão, segundo dados da Ebit-Nielsen. O crescimento foi de 21% na comparação com o mesmo período de 2018, quando o montante chegou a R$ 949 milhões.

Já o volume de pedidos chegou a 2,43 milhões, um incremento de 30% em relação aos 1,87 milhão do fim de semana pós-Black Friday de 2018. O valor médio das compras caiu: 7%, para R$ 471. A maior redução aconteceu no domingo, com queda de 12%, para R$ 435. No sábado, o valor médio dos gastos foi de R$ 498 (queda de 4% em relação ao ano passado).

Lojas físicas também tiveram negócios estimulados pela Black Friday

Valor

Na avaliação de Ana Szasz, líder da Ebit-Nilsen, o sábado e o domingo foram usados para terminar as compras da sexta-feira, com a busca por produtos de menor valor, por isso a queda no tíquete médio.

Os pedidos feitos por meio de dispositivos móveis chegaram a 62% do total, totalizando 1,5 milhão, 81% a mais que em 2018. Em termos de valores, foram R$ 668 milhões, um crescimento de 67%. O tíquete médio caiu 8%, para R$ 444.

No recorte regional, a Ebit-Nielsen detectou que a região Sudeste continuou liderando em faturamento com R$ 738 milhões, seguida pelo Sul com R$ 164 milhões. O Nordeste ficou logo após com R$ 134 milhões, Centro-Oeste com R$ 80 milhões e, por último, o Norte com R$ 34 milhões.

Dados da Black Friday compilados pelo Ebit/Nielsen mostraram elevação de 23,6%, para R$ 3,2 bilhões - a empresa estimava alta de 18%. O movimento foi visto pelos executivos das principais varejistas como um sinal de recuperação mais sólido da economia.