Mercado fechado
  • BOVESPA

    117.669,90
    -643,33 (-0,54%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.627,67
    -560,48 (-1,16%)
     
  • PETROLEO CRU

    59,34
    -0,26 (-0,44%)
     
  • OURO

    1.744,10
    -14,10 (-0,80%)
     
  • BTC-USD

    60.502,18
    +1.956,00 (+3,34%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.235,89
    +8,34 (+0,68%)
     
  • S&P500

    4.128,80
    +31,63 (+0,77%)
     
  • DOW JONES

    33.800,60
    +297,03 (+0,89%)
     
  • FTSE

    6.915,75
    -26,47 (-0,38%)
     
  • HANG SENG

    28.698,80
    -309,27 (-1,07%)
     
  • NIKKEI

    29.768,06
    +59,08 (+0,20%)
     
  • NASDAQ

    13.811,00
    +63,25 (+0,46%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7625
    +0,1276 (+1,92%)
     

Vendas do ecommerce crescem 41% em 2020, diz Nielsen

·1 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - As vendas do comércio eletrônico cresceram 41% em 2020 e atingiram um faturamento de R$ 87,4 bilhões, de acordo com dados do relatório Webshoppers da Ebit|Nielsen e do Bexs Banco. Como isolamento social e o teletrabalho, os pedidos cresceram 30% na comparação com 2019, chegando a 194 milhões. Segundo o relatório, outro motivador do resultado foi o frete grátis, que representou 43% de todas as compras de 2020. Do total de vendas, 55,1% foram realizadas por smartphones (R$ 45,9 bilhões), alta de 79% em relação a 2019 e 176% sobre 2018. Diante da restrição da pandemia, as vendas do ecommerce ficaram ainda mais concentradas em lojas de departamento. Esse segmento contribuiu com 84,3% do faturamento total, seguido bem atrás por artigos esportivos (+2,8%), informática (+2,4%), roupas (2,2%) e autosserviço (1,8%). Ainda segundo o relatório, apesar de os estados do Sudeste permanecerem em primeiro na contribuição para as vendas, com 52% do valor arrecadado em vendas ou 44,1% de impulso para a alta total do ecommerce em 2020, o Nordeste dobrou o consumo digital, com 18,5% do total e 31,7% de contribuição.