Mercado fechado
  • BOVESPA

    121.113,93
    +412,93 (+0,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.726,98
    +212,88 (+0,44%)
     
  • PETROLEO CRU

    63,07
    -0,06 (-0,10%)
     
  • OURO

    1.777,30
    -2,90 (-0,16%)
     
  • BTC-USD

    55.982,42
    -5.316,70 (-8,67%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.398,97
    +7,26 (+0,52%)
     
  • S&P500

    4.185,47
    +15,05 (+0,36%)
     
  • DOW JONES

    34.200,67
    +164,67 (+0,48%)
     
  • FTSE

    7.019,53
    +36,03 (+0,52%)
     
  • HANG SENG

    28.969,71
    +176,61 (+0,61%)
     
  • NIKKEI

    29.683,37
    +40,67 (+0,14%)
     
  • NASDAQ

    14.024,00
    -5,50 (-0,04%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6842
    -0,0369 (-0,55%)
     

Vendas de diesel e gasolina por distribuidoras no Brasil recuam em fevereiro, diz ANP

·1 minuto de leitura
Caminhão-tanque descarrega combustível em posto em Porto Alegre (RS)

RIO DE JANEIRO (Reuters) - As vendas de diesel e gasolina por distribuidoras no Brasil recuaram em fevereiro ante o mesmo período de 2020, revertendo uma recuperação observada no primeiro mês do ano, apontaram dados da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) nesta quarta-feira.

As vendas de diesel, principal combustível comercializado no país, caíram 2,5% em fevereiro ante o mesmo mês do ano passado, para 4,4 bilhões de litros. Em janeiro, as distribuidoras haviam registrado um aumento de 0,9% nas vendas do combustível na comparação anual.

As vendas de gasolina, por sua vez, caíram 10,3% no segundo mês deste ano ante o mesmo período do ano passado, para 2,8 bilhões de litros. Em janeiro, as vendas de gasolina haviam registrado leve aumento de 0,2% na comparação anual.

Já o etanol hidratado, concorrente da gasolina nas bombas, registrou queda de 6,8% nas vendas em fevereiro, na mesma comparação. Em janeiro, as vendas do biocombustível haviam recuado 10%.

As vendas de todos os combustíveis no Brasil em fevereiro caíram 6,8%, para 10,33 bilhões de litros.

No primeiro bimestre do ano passado, o setor de combustíveis no Brasil ainda não sofria com os efeitos da pandemia do novo coronavírus.

No mês passado, a Petrobras chegou a informar que as vendas de diesel e gasolina nas refinarias em janeiro haviam superado os níveis pré-pandemia.

Em contrapartida, o refino de petróleo no Brasil cresceu 4% em fevereiro ante o mesmo mês do ano passado, para 53,2 milhões de barris. Em janeiro, o refino havia caído 2,6%, para 54,93 milhões de barris.

A Petrobras detém atualmente quase 100% da capacidade de refino do Brasil.

(Por Marta Nogueira)