Mercado fechado
  • BOVESPA

    114.647,99
    +1.462,52 (+1,29%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.798,38
    +658,14 (+1,26%)
     
  • PETROLEO CRU

    82,66
    +1,35 (+1,66%)
     
  • OURO

    1.768,10
    -29,80 (-1,66%)
     
  • BTC-USD

    60.947,73
    +354,30 (+0,58%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.464,06
    +57,32 (+4,07%)
     
  • S&P500

    4.471,37
    +33,11 (+0,75%)
     
  • DOW JONES

    35.294,76
    +382,20 (+1,09%)
     
  • FTSE

    7.234,03
    +26,32 (+0,37%)
     
  • HANG SENG

    25.330,96
    +368,37 (+1,48%)
     
  • NIKKEI

    29.068,63
    +517,70 (+1,81%)
     
  • NASDAQ

    15.144,25
    +107,00 (+0,71%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3297
    -0,0741 (-1,16%)
     

Vendas de diesel no Brasil sobem 10,9% em agosto ao maior nível em quase 7 anos

·2 minuto de leitura
Carro sendo abastecido em posto de combustíveis

Por Marta Nogueira

RIO DE JANEIRO (Reuters) - As vendas de diesel pelas distribuidoras no Brasil somam 5,727 bilhões de litros em agosto, aumento de 10,9% ante o mesmo mês do ano passado, configurando-se também como o maior volume mensal desde outubro de 2014, de acordo com dados publicados nesta quinta-feira pela reguladora ANP.

Na comparação com julho, o volume de vendas do combustível subiu 1,9%, segundo os dados.

O avanço na comercialização do diesel acontece apesar de uma alta acentuada de seus preços no Brasil, provocada pelo avanço da commodity no mercado internacional.

O valor médio do diesel vendido pela Petrobras às distribuidoras cresceu mais de 50% no acumulado deste ano até o final de setembro, após uma alta de cerca de 9% nesta semana.

O sócio da Raion Consultoria Eduardo Melo destacou que o comportamento de vendas do diesel está ligado diretamente ao avanço da economia do país. Segundo ele, em 2015 e 2016 o Brasil passou por fortes contrações econômicas, e desde então não havia se recuperado completamente.

Já neste ano, o país tem apresentado um retorno importante das atividades produtivas no período pós-pandemia, com reflexos no avanço do Produto Interno Bruto (PIB).

"O motivo desse crescimento é exatamente a recomposição do PIB e a expansão do agronegócio durante esse período", afirmou Melo.

Já as vendas de gasolina no mês passado somaram 3,42 bilhões de litros, versus 2,93 bilhões em igual período de 2020, com o combustível fóssil ganhando mercado do etanol hidratado em meio a uma quebra de safra de cana que elevou os preços do biocombustível.

As vendas de etanol hidratado somaram 1,3 bilhão de litros em agosto, versus 1,57 bilhão em igual mês do ano passado, segundo os dados da ANP.

(Por Marta Nogueira; com reportagem adicional de Roberto Samora)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos