Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.036,79
    +2.372,79 (+2,20%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.626,80
    -475,80 (-1,05%)
     
  • PETROLEO CRU

    79,74
    -1,49 (-1,83%)
     
  • OURO

    1.668,30
    -0,30 (-0,02%)
     
  • BTC-USD

    19.217,77
    -83,99 (-0,44%)
     
  • CMC Crypto 200

    443,49
    +0,06 (+0,01%)
     
  • S&P500

    3.585,62
    -54,85 (-1,51%)
     
  • DOW JONES

    28.725,51
    -500,09 (-1,71%)
     
  • FTSE

    6.893,81
    +12,22 (+0,18%)
     
  • HANG SENG

    17.222,83
    +56,93 (+0,33%)
     
  • NIKKEI

    25.937,21
    -484,89 (-1,84%)
     
  • NASDAQ

    11.058,25
    -170,00 (-1,51%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,3079
    +0,0099 (+0,19%)
     

Vendas da H&M ficam abaixo do esperado, varejista luta para competir com a Zara

H&M

Por Marie Mannes e Anna Ringstrom

ESTOCOLMO (Reuters) - A H&M divulgou nesta quinta-feira vendas trimestrais abaixo do esperado, com menor demanda diante dos aumentos de preços de energia e alimentos, enquanto a segunda maior varejista de moda do mundo luta para competir com a rival Zara.

As vendas líquidas do terceiro trimestre fiscal do grupo sueco (de junho a agosto) aumentaram 3% em relação ao ano anterior, para 57,5 ​​bilhões de coroas suecas (5,4 bilhões de dólares), abaixo do avanço de 5% estimado por analistas consultados pela Refinitiv.

Em moeda local, as vendas caíram 4%.

As ações da H&M, que perderam mais de dois terços de seu valor em 2022, cederam 4,7%.

A varejista sueca teve um desempenho substancialmente inferior ao da líder de mercado Inditex, dona da Zara, que nesta semana anunciou aumento de vendas em moeda constante de 16% no trimestre de maio a julho. O ritmo de crescimento do grupo espanhol, no entanto, desacelerou para 11% no período de 1º de agosto a 11 de setembro.

A H&M deve publicar os resultados financeiros completos para o trimestre em 29 de setembro.