Mercado abrirá em 7 h 3 min
  • BOVESPA

    107.664,35
    -786,85 (-0,73%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.102,55
    -339,66 (-0,75%)
     
  • PETROLEO CRU

    81,21
    -0,02 (-0,02%)
     
  • OURO

    1.674,40
    +5,80 (+0,35%)
     
  • BTC-USD

    19.467,18
    +14,70 (+0,08%)
     
  • CMC Crypto 200

    444,82
    -1,16 (-0,26%)
     
  • S&P500

    3.640,47
    -78,57 (-2,11%)
     
  • DOW JONES

    29.225,61
    -458,13 (-1,54%)
     
  • FTSE

    6.881,59
    -123,80 (-1,77%)
     
  • HANG SENG

    17.179,06
    +13,19 (+0,08%)
     
  • NIKKEI

    25.875,82
    -546,23 (-2,07%)
     
  • NASDAQ

    11.256,25
    +28,00 (+0,25%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,3087
    +0,0107 (+0,20%)
     

Vendas da Braskem no Brasil recuam do 1º para o 2º trimestre

·1 min de leitura
Instalações da Braskem em Maceió (AL)

SÃO PAULO (Reuters) - A petroquímica Braskem informou nesta quinta-feira que suas vendas de resinas no Brasil de abril a junho caíram 17% em relação ao primeiro trimestre deste ano, enquanto as dos principais produtos químicos recuaram 10%.

A companhia atribuiu a queda à normalização da demanda, à redução de market share, principalmente devido a parada geral de manutenção programada na central petroquímica do ABC (SP) e ao aumento dos volumes de importação.

Em prévia não auditada de resultados operacionais, a empresa afirmou também que suas vendas nos Estados Unidos e na Europa subiram 10% na passagem do primeiro para o segundo trimestre.

Já a produção de eteno da Braskem no Brasil caiu 7% na medição sequencial, mas subiu 9% ante o segundo trimestre de 2020.

Quanto à taxa média de utilização das centrais petroquímicas da companhia, o índice caiu de 82% para 76% do primeiro para o segundo trimestre, mas subiu 93% para 96% na Europa, e ficou estável em 58% no México.

(Por Alberto Alerigi Jr.)