Mercado abrirá em 9 h 55 min
  • BOVESPA

    110.334,83
    +299,66 (+0,27%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.784,58
    +191,67 (+0,43%)
     
  • PETROLEO CRU

    59,64
    -1,00 (-1,65%)
     
  • OURO

    1.708,40
    -14,60 (-0,85%)
     
  • BTC-USD

    49.226,98
    +2.906,98 (+6,28%)
     
  • CMC Crypto 200

    986,38
    +58,14 (+6,26%)
     
  • S&P500

    3.901,82
    +90,67 (+2,38%)
     
  • DOW JONES

    31.535,51
    +603,14 (+1,95%)
     
  • FTSE

    6.588,53
    +105,10 (+1,62%)
     
  • HANG SENG

    29.433,02
    -19,55 (-0,07%)
     
  • NIKKEI

    29.554,75
    -108,75 (-0,37%)
     
  • NASDAQ

    13.250,00
    -29,75 (-0,22%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7836
    -0,0120 (-0,18%)
     

Vendas de combustíveis em 2020 caem para menor volume em 8 anos, aponta ANP

Marta Nogueira
·1 minuto de leitura
Caminhão-tanque em posto de combustíveis em Porto Alegre (RS)

Por Marta Nogueira

RIO DE JANEIRO (Reuters) - As vendas de combustíveis por distribuidoras no Brasil em 2020 caíram 6% ante o ano anterior, para 131,8 bilhões de litros, menor volume em oito anos, com um recuo importante no consumo de querosene de aviação, etanol hidratado e gasolina em meio à pandemia, apontaram dados da agência reguladora ANP.

A queda ocorreu diante de medidas de combate à proliferação do novo coronavírus. Entre maio e agosto, as vendas de combustíveis acumuladas no ano chegaram a ter queda superior a 8%, com uma leve melhora nos meses seguintes.

O volume comercializado pelas distribuidoras foi o menor desde 2012, quando as companhias venderam 129,7 bilhões de litros.

O combustível com a maior queda em 2020 foi o querosene de aviação, que caiu quase 50%, como resultado das restrições de voos para reduzir a circulação de pessoas, para 3,5 bilhões de litros, menor volume da série histórica da reguladora ANP, que remonta até o ano 2000.

Dentre os combustíveis mais comercializados, a maior queda foi observada nas vendas do etanol hidratado, que recuou 14,6% para 19,2 bilhões de litros, menor volume comercializado desde 2017 (13,6 bilhões de litros).

Já as vendas de gasolina C --concorrente do etanol hidratado nas bombas-- caíram 6,1% em 2020 ante o ano anterior, para 35,8 bilhões de litros, menor volume desde 2011, quando foram comercializados 35,4 bilhões de litros.

As vendas do diesel --combustível mais consumido do Brasil--, por sua vez, ficaram praticamente estáveis, com alta de 0,3% no período, para 57,5 bilhões de litros.