Vendas de carros movidos somente a álcool continuam

Mesmo com a produção encerrada oficialmente em 2007, as vendas de carros movidos exclusivamente a álcool ainda persistem em cerca de 50 unidades por ano no Brasil. Em 2012, foram 52 veículos, um a mais que em 2011, de acordo com dados divulgados nesta segunda-feira pela Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea).

Apesar de divulgá-los, a partir do levantamento do Registro Nacional de Veículos Automotores (Renavam), a entidade tem apenas suposições sobre a origem das vendas desses carros no País. "Pode ser algum erro no registro dos carros, ou mesmo algum carro a álcool que ainda possuía placa amarela e que não tinha sido trocada pela placa branca e que entrou como novo no levantamento", disse Luiz Moan, vice-presidente da Anfavea.

Sucesso de vendas a partir da segunda metade da década de 1970, os carros a etanol chegaram a responder por mais de 90% das vendas totais do País, no auge do Proálcool, entre 1983 e 1989. Mas a crise de oferta do combustível e a perda de credibilidade pelo veículo fizeram com que as vendas e a produção de carros só a álcool despencassem no País até 2003.

A saída, naquele ano, foi o lançamento de veículos flex fuel, abastecidos com álcool, gasolina ou com a mistura de qualquer um dos dois combustíveis. Com isso, os carros a etanol foram substituídos gradativamente pelos flex fuel, até 2007, quando apenas três unidades, todas da Fiat, foram fabricadas. No entanto, as vendas, ou ao menos o registro delas, ainda seguem.

Carregando...