Mercado abrirá em 2 h 28 min
  • BOVESPA

    113.794,28
    -1.268,26 (-1,10%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.192,33
    +377,16 (+0,73%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,99
    -0,62 (-0,85%)
     
  • OURO

    1.765,20
    +8,50 (+0,48%)
     
  • BTC-USD

    47.642,38
    -97,23 (-0,20%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.211,18
    -22,11 (-1,79%)
     
  • S&P500

    4.473,75
    -6,95 (-0,16%)
     
  • DOW JONES

    34.751,32
    -63,07 (-0,18%)
     
  • FTSE

    7.028,15
    +0,67 (+0,01%)
     
  • HANG SENG

    24.920,76
    +252,91 (+1,03%)
     
  • NIKKEI

    30.500,05
    +176,71 (+0,58%)
     
  • NASDAQ

    15.490,00
    -27,75 (-0,18%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2118
    +0,0270 (+0,44%)
     

Venda de veículos novos recua em julho ante junho, diz Fenabrave

·2 minuto de leitura

SÃO PAULO (Reuters) - Os licenciamentos de carros, comerciais leves, caminhões e ônibus no Brasil em julho caíram 3,8% na comparação com o mês anterior, para 175,45 mil unidades, ficando levemente acima do registrado um ano antes, informou nesta terça-feira a associação de distribuidores, Fenabrave.

Com o desempenho de julho, as vendas de veículos novos nos primeiros sete meses do ano acumulam crescimento de 27% sobre o mesmo período de 2019, para 1,25 milhão de unidades.

"O número de emplacamentos, até agora, mostra que o setor, no geral, mantém sua trajetória de recuperação, com um volume total próximo ao que registramos nos últimos anos, antes da pandemia", afirmou o presidente da Fenabrave, Alarico Assumpção Júnior, em comunicado à imprensa.

"Se a produção estivesse normalizada, principalmente, para automóveis, poderíamos ter um crescimento ainda maior do que o previsto para este ano", acrescentou.

O presidente da Fenabrave se referiu à crise de insumos que tem atingido o setor mais notadamente desde o início do ano. Entre os principais problemas está a falta de chips usados em uma série de componentes dos veículos atuais como sistemas de entretenimento e do motor.

Segundo a entidade, a crise fez o volume de carros emplacados em julho ser o mais baixo para o mês desde 2005. O número de licenciamentos de automóveis foi de 123,6 mil unidades, queda de 7,3% ante junho e recuo de 8,4% em relação a julho do ano passado.

Em comparação, o volume de comerciais leves, categoria que tem sido foco do setor ao incluir SUVs, picapes e vans comerciais, teve no mês passado crescimentos de 7% e 38% nas bases sequencial e anual, a 38,8 mil unidades.

As vendas de caminhões seguiram em forte ritmo, avançando 3,5% no comparativo com junho e 20,85% sobre julho de 2020, para 11,5 mil veículos, segundo os dados da entidade.

(Por Alberto Alerigi Jr.)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos