Mercado abrirá em 6 h 2 min

Venda de veículos leves e pesados ultrapassa 200 mil unidades pela primeira vez no ano

***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 04.06.2020 - Agência de vendas de veículos Número 1, na avenida Professor Luiz Ignácio Anhaia Melo, em São Paulo. (Foto: Adriano Vizoni/Folhapress)
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 04.06.2020 - Agência de vendas de veículos Número 1, na avenida Professor Luiz Ignácio Anhaia Melo, em São Paulo. (Foto: Adriano Vizoni/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - As vendas de veículos leves e pesados ultrapassaram as 200 mil unidades em agosto, algo que ainda não havia ocorrido em 2022.

Segundo dados do Renavam (Registro Nacional de Veículos Automotores), o último mês terminou com 208.607 emplacamentos. O número inclui carros de passeio, comerciais leves, ônibus e caminhões. É o melhor resultado desde dezembro de 2020.

Houve crescimento de 14,6% em relação a julho. Já na comparação com agosto de 2021, a alta é de 20,7%. No acumulado do ano, contudo, há queda de 8% na comparação com os oito primeiros meses do ano passado.

A média diária de vendas ficou em 9.070 unidades, o que também representa um avanço significativo. A Anfavea (associação das montadoras) espera que esse patamar ao menos se mantenha até o fim do ano, com picos em novembro e dezembro.

A entidade, que em janeiro acreditava em uma alta de 8,5% nas vendas, revisou suas projeções em julho. Agora é aguardado um crescimento de 1% nos emplacamentos em relação a 2021.

Para que isso ocorra, a média mensal de emplacamentos no último quadrimestre terá de ser ao menos igual ao resultado de agosto.

Os dados de produção serão divulgados na próxima semana, bem como números de exportação e estoque.

Entre os fatores que deixam a indústria otimista estão a melhora no fornecimento de semicondutores e o lançamento de modelos de apelo popular, como o novo Citroën C3 (a partir de R$ 69 mil) e o remodelado Hyundai HB20 (R$ 77,2 mil).

Mas ainda há problemas que dificultam o crescimento no varejo, como os juros altos e a consequente restrição ao crédito. O calendário também não ajuda, com o período eleitoral sendo sucedido pela Copa do Mundo.

Já no segmento de vendas diretas, há tendência de alta na procura por parte das locadoras. A participação dessas empresas no total de licenciamentos vem aumentando no segundo semestre.

Em julho, as vendas diretas de automóveis de passeio e veículos comerciais leves representaram 51,9% dos emplacamentos, segundo a Jato Dynamics Brasil.

É a comercialização para pessoa jurídica que justifica a liderança da Fiat Strada e do Volkswagen Gol no ranking de emplacamentos. Os modelos tiveram, respectivamente, 14.157 e 11.719 unidades licenciadas em agosto. Cerca de 80% desses volumes se referem a compras feitas com uso de CNPJ.

Embora o resultado atual seja motivo de comemoração na indústria automotiva, os números do último mês estão muito distantes do melhor resultado já registrado.

Há exatos 10 anos, em agosto de 2012, o setor batia o recorde de vendas, com 420 mil unidades comercializadas.