Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.035,17
    -2.221,19 (-1,98%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.592,91
    +282,64 (+0,64%)
     
  • PETROLEO CRU

    61,66
    -1,87 (-2,94%)
     
  • OURO

    1.733,00
    -42,40 (-2,39%)
     
  • BTC-USD

    46.339,08
    +278,91 (+0,61%)
     
  • CMC Crypto 200

    912,88
    -20,25 (-2,17%)
     
  • S&P500

    3.811,15
    -18,19 (-0,48%)
     
  • DOW JONES

    30.932,37
    -469,64 (-1,50%)
     
  • FTSE

    6.483,43
    -168,53 (-2,53%)
     
  • HANG SENG

    28.980,21
    -1.093,96 (-3,64%)
     
  • NIKKEI

    28.966,01
    -1.202,26 (-3,99%)
     
  • NASDAQ

    12.905,75
    +74,00 (+0,58%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7583
    +0,0194 (+0,29%)
     

Venda de veículos despenca em janeiro após alta do ICMS em SP, diz Fenabrave

Alberto Alerigi Jr.
·2 minuto de leitura
Venda de veículos despenca em janeiro, diz Fenabrave

Por Alberto Alerigi Jr.

SÃO PAULO (Reuters) - Os emplacamentos de veículos no Brasil em janeiro despencaram quase 30% em janeiro sobre dezembro e recuaram também sobre janeiro de 2020, em desempenho pressionado em parte pelo forte aumento no ICMS cobrado no Estado de São Paulo, maior mercado do país, afirmou a associação de concessionários, Fenabrave, nesta terça-feira.

Os licenciamentos de carros, comerciais leves, caminhões e ônibus novos em janeiro somaram 171.153 unidades, recuando 11,5% na comparação com o mesmo mês do ano passado.

"Se considerarmos que São Paulo responde por mais de 23% das vendas de veículos novos e por cerca de 40% das transações de usados no país, podemos ter a dimensão dos estragos que as medidas adotadas pelo governador João Doria estão fazendo", afirmou o presidente da Fenabrave, Alarico Assumpção Júnior, em comunicado à imprensa.

Em janeiro, as maiores quedas nas vendas de novos ante dezembro ocorreram no segmento de carros e comerciais leves, com retrações de 32,8% em automóveis e 16,7% em utilitários, picapes e vans. Caminhões registraram tombo de 24,7% e ônibus apuraram queda de 14,6%, segundo os dados da entidade.

O governo do Estado de São Paulo aumentou no final do ano passado o ICMS sobre vendas de veículos novos e usados. O imposto sobre novos passou de 12% para 13,3% e para os usados, frequentemente usados como entrada na aquisição de zero quilômetro, a alíquota subiu de 1,8% para 5,52%

Além do aumento do imposto, a Fenabrave citou como fatores para a queda das vendas problemas de produção gerados por falta de componentes e segunda onda da pandemia no país, em que concessionárias em São Paulo ficaram impedidas de vender no último final de semana de janeiro.

Segundo a Fenabrave, apesar da queda nas vendas de caminhões, o segmento segue aquecido, "tanto pelos resultados das commodities, quanto pela boa oferta de crédito para o segmento. Já se trabalha com a programação de entrega, de alguns modelos de caminhões, para o mês de junho", disse Assumpção Júnior.