Mercado fechado
  • BOVESPA

    96.582,16
    +1.213,40 (+1,27%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    36.801,37
    -592,34 (-1,58%)
     
  • PETROLEO CRU

    36,41
    +0,24 (+0,66%)
     
  • OURO

    1.871,80
    +3,80 (+0,20%)
     
  • BTC-USD

    13.559,76
    +129,09 (+0,96%)
     
  • CMC Crypto 200

    265,78
    +23,10 (+9,52%)
     
  • S&P500

    3.310,11
    +39,08 (+1,19%)
     
  • DOW JONES

    26.659,11
    +139,16 (+0,52%)
     
  • FTSE

    5.581,75
    -1,05 (-0,02%)
     
  • HANG SENG

    24.512,43
    -74,17 (-0,30%)
     
  • NIKKEI

    23.155,74
    -176,20 (-0,76%)
     
  • NASDAQ

    11.195,75
    -147,00 (-1,30%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7507
    +0,0051 (+0,08%)
     

Venda interna de produtos químicos de uso industrial sobe 15,7% em agosto, diz Abiquim

Stella Fontes
·2 minutos de leitura

Trata-se do melhor desempenho em 13 anos de análise, segundo a associação As vendas internas de produtos químicos de uso industrial cresceram 15,7% em agosto, na comparação anual, o melhor desempenho em 13 anos de análise, de acordo com relatório de acompanhamento conjuntural da Associação Brasileira da Indústria Química (Abiquim). A produção, por sua vez, subiu 3,21% e o consumo aparente nacional (CAN), que mede a demanda em toneladas, teve alta de 8,4%. Segundo a entidade, tanto produção quanto vendas internas de químicos tiveram em agosto o terceiro mês de resultado positivo consecutivo. Frente a julho, o índice de produção avançou 0,65% e o de vendas internas cresceu 6,96%, acumulando nos últimos três meses, de junho a agosto, altas de 29% e de 56,9%, respectivamente. Também houve melhora significativa no nível de utilização da capacidade instalada, que chegou a 78% em agosto. Esse foi o melhor resultado desde março do ano passado, com avanço de nove pontos na comparação anual. Em nota, a diretora de economia e estatística da Abiquim, Fátima Giovanna Coviello Ferreira, atribui o desempenho positivo à retomada da atividade econômica, à recomposição de estoques e ao início do terceiro trimestre, tipicamente o mais forte para a indústria química. O índice de preços dos produtos químicos também se acelerou. No acumulado de janeiro a agosto, a alta nominal foi de 14,69%, conforme a Abiquim. “Os preços dos produtos químicos no mercado interno estão sendo impactados principalmente pela valorização do dólar no mundo e no Brasil, além das oscilações dos preços no mercado internacional, influenciados pela alta recente do petróleo e da nafta petroquímica, recuperando parcialmente as perdas alcançadas no auge da pandemia, quando o petróleo chegou a cair para níveis inferiores a US$ 20/barril”, explica a diretora. Apesar da melhora recente, no acumulado de 2020, a produção de químicos de uso industrial no país recuou 4,8%, enquanto as vendas internas exibiram baixa de 5,5%. Já as importações subiram 16,9% no mesmo intervalo, enquanto as exportações caíram 10,1%. De janeiro a agosto, o consumo aparente teve elevação de 8,2% e a participação do produto importado sobre a demanda local foi de 44%, quatro pontos percentuais acima do verificado no mesmo período de 2019. “A recuperação da atividade traz alívio ao setor e sinaliza que o ‘fundo do poço’ parece realmente ter sido alcançado entre abril e maio”, observa Fátima Giovanna.