Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.923,93
    +998,33 (+0,90%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.234,37
    -223,18 (-0,43%)
     
  • PETROLEO CRU

    80,34
    -0,88 (-1,08%)
     
  • OURO

    1.797,30
    -3,80 (-0,21%)
     
  • BTC-USD

    17.054,67
    +142,40 (+0,84%)
     
  • CMC Crypto 200

    404,33
    +2,91 (+0,72%)
     
  • S&P500

    4.071,70
    -4,87 (-0,12%)
     
  • DOW JONES

    34.429,88
    +34,87 (+0,10%)
     
  • FTSE

    7.556,23
    -2,26 (-0,03%)
     
  • HANG SENG

    18.675,35
    -61,09 (-0,33%)
     
  • NIKKEI

    27.777,90
    -448,18 (-1,59%)
     
  • NASDAQ

    11.979,00
    -83,75 (-0,69%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4940
    +0,0286 (+0,52%)
     

Venda de cimento estaciona no Brasil em outubro sobre um ano antes

SÃO PAULO (Reuters) - A venda de cimento no Brasil em outubro somou 5,36 milhões de toneladas, quase estável sobre o mesmo mês do ano passado e 2,3% abaixo de setembro, segundo dados divulgados nesta terça-feira pela associação de fabricantes do material, Snic.

"Teremos um final de ano difícil em função das condições econômicas locais e externas. O calendário da Copa do Mundo irá comprometer a performance de vendas do cimento e, além disso, a previsão climática aponta para chuvas acima da média", afirmou o presidente do Snic, Paulo Camillo Penna, em comunicado.

Segundo a entidade, as vendas de materiais de construção no varejo vêm apresentando retração desde meados de 2021 e acumulam queda de 7,6% de janeiro a setembro deste ano.

Para o Snic, no cenário de construção habitacional, o maior número de vendas ante lançamentos imobiliários está contribuindo para redução no estoque de obras e no consumo de cimento. No mercado de lajes corporativas, a entidade avalia que a vacância de escritórios está caindo "lentamente, inibindo novos empreendimentos de prédios comerciais".

Em outubro, as vendas de cimento caíram em três regiões do país, com mais intensidade no Norte (-6,1%) e Nordeste (-6,4%), enquanto no Sul houve retração de 1,9% na comparação com o mesmo mês de 2021.

No Sudeste, a comercialização no mês passado cresceu 2,8% na base anual e avançou 1,5% no Centro-Oeste, segundo o Snic.

No acumulado de janeiro a outubro, as vendas de cimento no Brasil somam 52,8 milhões de toneladas, queda de 2,6% sobre o mesmo período de 2021.