Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.095,53
    +537,86 (+0,50%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.011,80
    +93,52 (+0,18%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,69
    +0,64 (+0,89%)
     
  • OURO

    1.784,40
    -0,30 (-0,02%)
     
  • BTC-USD

    50.695,68
    -25,75 (-0,05%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.322,00
    +16,88 (+1,29%)
     
  • S&P500

    4.701,21
    +14,46 (+0,31%)
     
  • DOW JONES

    35.754,75
    +35,32 (+0,10%)
     
  • FTSE

    7.337,05
    -2,85 (-0,04%)
     
  • HANG SENG

    23.996,87
    +13,21 (+0,06%)
     
  • NIKKEI

    28.860,62
    +405,02 (+1,42%)
     
  • NASDAQ

    16.379,00
    +61,00 (+0,37%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2753
    -0,0644 (-1,02%)
     

Veja quanto os laboratórios lucram com vacinas da covid (por segundo)

·2 min de leitura

Responsáveis por desenvolver as primeiras vacinas de mRNA (RNA mensageiro) contra a covid-19, as empresas Pfizer, BioNTech e Moderna terão um lucro combinado de US$ 65 mil dólares (cerca de 360 mil reais) por minuto, segundo levantamento. O cálculo foi estimado pelo movimento People's Vaccine Alliance (PVA) e considera os relatórios sobre imunizantes divulgados pelas próprias companhias para o ano de 2021.

Em números totais, a PVA estima que o trio terá um lucro bruto de US$ 34 bilhões este ano, o que equivale a:

  • Mais de US$ 1.000 (cerca de 5,6 mil reais) por segundo;

  • US$ 65 mil (cerca de 361,7 mil reais) por minuto;

  • US$ 93,5 milhões (cerca de 520,4 milhões de reais) por dia.

Enquanto as cifras das empresas se multiplicam, o grupo aponta para o acesso desigual aos imunizantes da covid-19, principalmente em países de baixa renda.

Fabricantes de vacinas de mRNA têm lucros bilionários com a venda de soluções para a pandemia da covid-19 (Imagem: Reprodução/Dante Doria/Pixabay)
Fabricantes de vacinas de mRNA têm lucros bilionários com a venda de soluções para a pandemia da covid-19 (Imagem: Reprodução/Dante Doria/Pixabay)

"É obsceno que apenas algumas empresas estejam ganhando milhões de dólares em lucros a cada hora, enquanto apenas 2% das pessoas em países de baixa renda foram totalmente vacinadas contra o coronavírus", afirmou Maaza Seyoum, coordenadora da PVA para a África. "Pfizer, BioNTech e Moderna usaram seus monopólios para priorizar os contratos mais lucrativos com os governos mais ricos", opinou.

Distribuição desigual de vacinas

Até esta quinta-feira (18), apenas 4,7% das pessoas em países de baixa renda receberam pelo menos uma dose da vacina contra a covid-19, segundo dados da plataforma Our World in Data. O acesso desigual aos imunizantes é mais explícito nos países do continente africano.

Para melhorar a distribuição das vacinas, a Organização Mundial da Saúde (OMS) lidera o consórcio COVAX Facility. A iniciativa ajuda a levar imunizantes para as nações de menor renda, mas os membros já anunciaram que as doações, até o final do ano, serão menores que as anunciadas.

Publicamente, o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) também pediu que os países ricos acelerassem as doações de imunizantes prometidos. "A pandemia não acabará em nenhum lugar até que acabe em todos os lugares, e isso significa levar vacinas para todos os países, o mais rápido e equitativamente possível", afirmou a Unicef, na época.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos