Mercado abrirá em 9 h 55 min
  • BOVESPA

    98.294,64
    -314,12 (-0,32%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.503,22
    -533,16 (-1,11%)
     
  • PETROLEO CRU

    99,97
    +0,47 (+0,47%)
     
  • OURO

    1.768,90
    +5,00 (+0,28%)
     
  • BTC-USD

    19.853,44
    -318,41 (-1,58%)
     
  • CMC Crypto 200

    429,79
    -10,24 (-2,33%)
     
  • S&P500

    3.831,39
    +6,06 (+0,16%)
     
  • DOW JONES

    30.967,82
    -129,44 (-0,42%)
     
  • FTSE

    7.025,47
    -207,18 (-2,86%)
     
  • HANG SENG

    21.519,04
    -334,03 (-1,53%)
     
  • NIKKEI

    26.089,86
    -333,61 (-1,26%)
     
  • NASDAQ

    11.785,00
    -23,50 (-0,20%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5296
    -0,0001 (-0,00%)
     

Veja quanto o consumidor vai pagar na conta de luz com a bandeira verde

·4 min de leitura
Conta de luz: governo federal anunciou ontem (6) a redução da bandeira tarifária para a cor verde. Foto: Getty Images.
Conta de luz: governo federal anunciou ontem (6) a redução da bandeira tarifária para a cor verde. Foto: Getty Images.
  • Conta de luz: governo federal anunciou ontem (6) a redução da bandeira tarifária para a cor verde;

  • Cada residência deve pagar cerca de R$ 120 na conta, considerando o consumo médio de 220Kwh/mês;

  • Especialista alerta que o valor pesa muito mais para famílias de baixa renda.

O governo federal anunciou ontem (6) a redução da bandeira tarifária para a cor verde a partir do dia 16, que indica que não haverá nenhum acréscimo de tarifa. A mudança deve reduzir as contas de luz em até 20%, segundo informou o presidente Jair Bolsonaro (PL) em sua conta no Twitter.

De acordo com Anton Schwyter, coordenador do Programa de Energia e Sustentabilidade do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (IDEC), a média de consumo dos brasileiros é de 220Kwh/mês. Conforme exemplificou, a tarifa média é de R$ 0,60 por kwh; portanto, cada residência deve pagar cerca de R$ 120 na conta de luz, considerando o consumo médio, R$ 28 a menos do que o valor pago com a bandeira vermelha 2 cada 100 kwh/mês.

Projeções da TR Soluções, empresa de tecnologia especializada em tarifas de energia, indicam que, desconsiderando as bandeiras tarifárias, as tarifas de energia residenciais teriam uma alta média de 11,20% em 2022 em relação aos valores cobrados no ano passado. Mas, com o fim da bandeira da escassez hídrica, o efeito médio percebido pelo consumidor passa a ser de aumento de 6,09% no ano.

Schwyter alerta, porém, que o valor pesa muito mais para família de baixa renda. Uma pesquisa divulgada pelo IPEC (Inteligência em Pesquisa e Consultoria), em parceria com o iCS (Instituto Clima e Sociedade), mostrou que quatro em cada dez brasileiros consomem mais da metade da renda com contas de luz e gás.

A bandeira verde representa o funcionamento normal das hidrelétricas e não apresenta alteração na fatura. As bandeiras seguintes demonstram a utilização de termelétricas, usinas movidas a combustíveis fósseis como carvão ou o diesel, para a geração de energia. A cada bandeira diferente há um acréscimo cada vez maior na conta de luz.

As bandeiras tarifárias são definidas mensalmente e são informadas na própria conta de luz. Se elas estiverem na cor verde, a tarifa não sofre nenhum acréscimo. Com a cor amarela, o aumento é de R$ 1,874 para cada 100 kWh consumidos no mês. Já na cor vermelha, o consumidor paga R$ 3,971 para cada 100 kWh no patamar 1 e R$ 9,492 para cada 100 kWh no patamar 2. Na escassez hídrica, é cobrado R$ 14,20 para cada 100 kWh.

Redução será menor do que anunciada pelo governo, dizem especialistas

Com a redução da bandeira tarifária Escassez Hídrica que adiciona uma taxa de R$ 14,20 a cada 100 kWh consumidos pela residência, para a bandeira hídrica verde, que representa condições normais de geração de energia e não adiciona nenhum valor extra, o presidente Bolsonaro anunciou que a conta de luz dos cidadãos brasileiros cairia por volta dos 20%.

Da mesma forma, o ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou que uma redução de 18% já poderá ser sentida pelos brasileiros no mês que vem "sem canetada". No entanto, especialistas no setor de energia debateram a projeção do governo federal, ressaltando que, em média, a redução deve ficar por volta dos 6,5%.

Tarifa Social: saiba quem tem direito a descontos na conta de luz

Em janeiro de 2022, entrou em vigor a inclusão automática de pessoas de baixa renda na tarifa social de energia. O benefício dá até 65% de desconto na conta de luz para pessoas de baixa renda, desde que estejam incluídas no CadÚnico do Governo Federal.

Quem pode receber a tarifa social? Segundo informações do Jornal Contábil, famílias cadastradas em qualquer programa social do governo federal com renda familiar, por pessoa, de até meio salário mínimo (R$550) têm direito à tarifa. Beneficiados pelo Bolsa Família, Bolsa Escola ou Auxílio-gás e quem recebe Benefício de Prestação Continuada (BPC) também são elegíveis, desde que estejam inscritos no CadÚnico.

A tabela de desconto é dividida da seguinte forma: Os que consomem até 30 kWh/mês, terão 65% de desconto, enquanto os que consomem de 31 kWh/mês até 100 kWh/mês, 40% de desconto. Já os que usam de 101 kWh/mês até 220 kWh/mês, terão 10% de desconto. A partir de 221 kWh/mês, não há mais desconto. Famílias indígenas e quilombolas inscritas no CadÚnico, por sua vez, terão 100% de desconto se consumirem até 50 kWh/mês.

Caso não tenha seu nome automaticamente colocado na lista da Tarifa Social, para se inscrever, procure a concessionária de energia da sua região munido de RG, código da casa, Número de Identificação Social (NIS), código familiar ou número do benefício do BPC. Verifique sempre no CRAS ou em postos de atendimento do Cadastro Único e do Programa Bolsa Família se seu cadastro está atualizado.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos