Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.439,37
    -2.354,91 (-2,07%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.307,71
    -884,62 (-1,69%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,96
    -0,65 (-0,90%)
     
  • OURO

    1.753,90
    -2,80 (-0,16%)
     
  • BTC-USD

    47.867,77
    -330,61 (-0,69%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.193,48
    -32,05 (-2,62%)
     
  • S&P500

    4.432,99
    -40,76 (-0,91%)
     
  • DOW JONES

    34.584,88
    -166,44 (-0,48%)
     
  • FTSE

    6.963,64
    -63,84 (-0,91%)
     
  • HANG SENG

    24.920,76
    +252,91 (+1,03%)
     
  • NIKKEI

    30.500,05
    +176,71 (+0,58%)
     
  • NASDAQ

    15.282,75
    -226,75 (-1,46%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1994
    +0,0146 (+0,24%)
     

Veja quais são os cargos mais buscados por empresas que procuram desenvolvedores

·2 minuto de leitura

A profissão de desenvolvedor está em alta. Uma pesquisa da startup de recrutamento Revelo, com 27 mil especialistas da área, mostra que a profissão foi a mais buscada pelos selecionadores no segmento de tecnologia na plataforma em 2020.

Esse profissional cria softwares, websites, programas, sistemas, redes sociais, aplicativos e todas as demais ferramentas digitais do dia a dia. As especialidades mais comuns da carreira são back-end (que cuidam da estrutura interna do sistema, com 24,4%), front-end (que atuam nos elementos visíveis, com 16,5%) e full-stack (para ambas as funções, com 26,7%).

Segundo a Revelo, 62% dos especialistas da área têm curso superior completo em Tecnologia, Sistemas de Informação, Análise e Desenvolvimento de Sistemas, Engenharia e Ciência da Computação. Outros segmentos de atividade incluem business intelligence, data science, product owner, infraestrutura, mobile, DevOps e outros.

Imagem: Reprodução/Envato/Rawpixel
Imagem: Reprodução/Envato/Rawpixel

Os conhecimentos mais buscados para esses perfis são Java, React.JS, Javascript, SQL e Node.JS. “Ter noções de inglês também facilita as contratações, já que as ferramentas de atuação dos profissionais estão nessa língua”, destaca Juliana Carneiro, diretora de marketing e experiência do candidato da Revelo.

Desigualdade de gênero

A pesquisa da Revelo indica que apenas 20% das pessoas desenvolvedoras declaram-se do gênero feminino. E apenas 9,2% dessas mulheres têm mais de 7 anos de atuação na carreira. A desigualdade aparece, ainda, na remuneração: embora a média seja entre R$ 6,4 e R$ 9,7 mil, apenas 30,5% das profissionais têm salários nessa faixa.

Existe maior representatividade feminina nas especialidades de product owner e business intelligence. Já nos segmentos de full-stack, infraestrutura e back-end, a proporção é de 10 homens para cada mulher.

Imagem: Reprodução/Pixabay/Gerd Altmann
Imagem: Reprodução/Pixabay/Gerd Altmann

Para quem deseja se especializar em tecnologia, a Revelo criou o programa Revelo Up. Em parceria com escolas especializadas, oferece mais de 250 cursos em escolas como Iron Hack, Tera, Mergo, Impacta e outras, com pagamento apenas após a formação.

Profissionais que usam a plataforma participam de seleções promovidas por empresas no Brasil, nos EUA e na Europa. Alguns desses processos são virtuais desde o convite para a entrevista até a contratação.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos