Mercado fechado
  • BOVESPA

    113.512,38
    +480,41 (+0,43%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.801,68
    +163,32 (+0,34%)
     
  • PETROLEO CRU

    87,13
    -2,28 (-2,63%)
     
  • OURO

    1.790,40
    -7,70 (-0,43%)
     
  • BTC-USD

    23.945,53
    -146,87 (-0,61%)
     
  • CMC Crypto 200

    569,15
    -2,76 (-0,48%)
     
  • S&P500

    4.305,20
    +8,06 (+0,19%)
     
  • DOW JONES

    34.152,01
    +239,57 (+0,71%)
     
  • FTSE

    7.536,06
    +26,91 (+0,36%)
     
  • HANG SENG

    19.830,52
    -210,34 (-1,05%)
     
  • NIKKEI

    28.868,91
    -2,87 (-0,01%)
     
  • NASDAQ

    13.663,50
    -17,75 (-0,13%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2315
    +0,0530 (+1,02%)
     

Veja para onde o telescópio espacial Hubble está olhando agora

Com a divulgação das primeiras imagens do telescópio James Webb, muitas pessoas começaram a se interessar por astronomia. Felizmente, o telescópio Hubble, em atividade há mais de 30 anos, tem um acervo gigantesco de imagens incríveis para explorar e saciar a curiosidade de qualquer um. E se isso não for o bastante, você pode conferir até mesmo para onde ele está olhando, em tempo real, a qualquer momento.

É verdade que os astrônomos estão entusiasmados com os resultados do James Webb — seu espelho primário tem 6,5 metros de largura, enquanto o Hubble tem um espelho de 2,4 m. Isso fornece imagens muito mais ricas em detalhes, com bem menos tempo de exposição.

Mas todo esse avanço não torna o Hubble ultrapassado ou defasado, por vários motivos. Por exemplo, enquanto o Webb foi projetado para "enxergar" apenas a radiação infravermelha, o Hubble abrange todo o espectro visível (ou seja, pode revelar os objetos como eles se pareceriam aos olhos humanos) e um pouco de infravermelho e ultravioleta.

O fato de "ver" luz ultravioleta já torna o Hubble muito relevante para a astronomia, mesmo com o James Webb trabalhando a todo vapor. Por isso, as horas disponíveis para uso do "Hubbie" são muito disputadas entre os cientistas e, por consequência, o telescópio está sempre "olhando" para algum lugar. E você pode acompanhá-lo ao vivo.

Como acompanhar o Hubble em tempo real

A galáxia anã Andrômeda-VII foi alvo do Hubble no dia 14 de julho (Imagem: Reprodução/NASA/STScI)
A galáxia anã Andrômeda-VII foi alvo do Hubble no dia 14 de julho (Imagem: Reprodução/NASA/STScI)

Existem duas maneiras muito simples de ver para onde o Hubble está apontando seu espelho. Uma delas é através do próprio site Space Telescope Live, mantido pela equipe do STScI (Space Telescope Science Institute), o centro científico responsável pelas operações do Hubble e do James Webb.

O site é simples: você entra e já encontra a imagem do objeto que está sendo observado pelo Hubble. Às vezes, será apenas um espaço "vazio", porque se trata apenas de uma "prévia" (mais sobre isso abaixo), e não de imagens processadas e coloridas.

Por exemplo, no momento de redação desta matéria, o Hubble estava olhando para a galáxia M31-B35-F03-WFC com o instrumento Advanced Camera for Surveys (ACS/WFC) para o Dr. Benjamin Williams. Essa observação ocorreu entre 10:11 e 10:17 (horário de Brasília). Todas essas informações aparecem para conferirmos um pouco mais sobre o estudo que está sendo realizado.

Aliás, você pode inclusive conferir qual estudo está sendo feito e um resumo da proposta que convenceu a equipe do Hubble a conceder um tempo do telescópio ao pesquisador; em nosso exemplo, o Dr. Williams. Sua pesquisa se chama "The Panchromatic Hubble Andrômeda Southern Treasury".

Como acompanhar o Hubble no Twitter

Talvez você tenha percebido que o tweet incorporado acima faz exatamente o mesmo que descrevemos sobre o site. Isso é porque o Space Telescope Live tem uma conta oficial no Twitter para replicar o mesmo monitoramento das observações do nosso querido telescópio. Ali, você pode conferir facilmente todo o histórico das pesquisas realizadas.

Essa é uma ferramenta incrível para quem se interessa em acompanhar os trabalhos científicos com o Hubble. As imagens coloridas e fabulosas do Hubble compartilhadas pela NASA, ESA (Agência Espacial Internacional) e STScI são processadas e coloridas digitalmente quando o alvo é interessante para chamar a atenção do público, mas as pesquisas não tão "bonitas" também são muito importantes.

Isso mesmo, as imagens espetaculares de nebulosas e galáxias têm cores "falsas", pois o telescópio fotografa apenas em preto e branco. Porém, nada ali é enganoso: as fotos são capturadas em diferentes comprimentos de ondas, muitos deles invisíveis aos olhos humanos. O que os astrônomos e cientistas cidadãos fazem é atribuir uma cor a cada comprimento de onda e empilhar essas imagens. O resultado é algo como o que vemos abaixo:

Os "Pilares da Criação" em diferentes comprimentos de onda empilhados e coloridos digitalmente (Imagem: NASA/ESA/Hubble Heritage Team)
Os "Pilares da Criação" em diferentes comprimentos de onda empilhados e coloridos digitalmente (Imagem: NASA/ESA/Hubble Heritage Team)

Como acessar o acervo de imagens do Hubble

Se o que te interessa são essas imagens de "encher os olhos", não desanime! A NASA, ESA e STScI mantêm o Hubble Site, onde são publicadas as notícias mais importantes sobre pesquisas e as imagens trabalhadas digitalmente. A seção de imagens conta com milhares de fotos, representações artísticas e conceitos interessantes.

O objetivo dessas iniciativas é aproximar mais o público da ciência real e os materiais costumam ser relativamente didáticos (para quem lê inglês). Os pesquisadores sabem muito bem que as imagens do Hubble fascinam o público há décadas, por isso investem nessas abordagens. Aliás, as primeiras fotos do Hubble foram as responsáveis por despertar o interesse da população geral por astronomia, e isso ajudou a viabilizar o novo telescópio James Webb.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos