Mercado fechará em 2 h 34 min
  • BOVESPA

    116.169,96
    +35,50 (+0,03%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.770,86
    +341,11 (+0,75%)
     
  • PETROLEO CRU

    86,35
    +2,72 (+3,25%)
     
  • OURO

    1.730,50
    +28,50 (+1,67%)
     
  • BTC-USD

    19.922,03
    +441,91 (+2,27%)
     
  • CMC Crypto 200

    452,75
    +7,32 (+1,64%)
     
  • S&P500

    3.765,13
    +86,70 (+2,36%)
     
  • DOW JONES

    30.133,77
    +642,88 (+2,18%)
     
  • FTSE

    7.086,46
    +177,70 (+2,57%)
     
  • HANG SENG

    17.079,51
    -143,32 (-0,83%)
     
  • NIKKEI

    26.992,21
    +776,42 (+2,96%)
     
  • NASDAQ

    11.549,75
    +264,00 (+2,34%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1881
    +0,1142 (+2,25%)
     

Veja o que pode mudar nas regras do vale-alimentação e refeição

Caso o usuário não gaste o saldo, poderá sacar o valor posteriormente (Getty Image)
Caso o usuário não gaste o saldo, poderá sacar o valor posteriormente (Getty Image)
  • Medida Provisória altera o funcionamento do vale-alimentação e refeição

  • O projeto ainda precisa ser sancionado pelo presidente

  • Ministério alega que o benefício tem sido usado outras finalidades

O Congresso aprovou uma Medida Provisória que altera pontos importantes ligados ao funcionamento do vale-alimentação e refeição no inicio do mês. Para entrar em vigor, o projeto precisa ser sancionado pelo presidente Jair Bolsonaro (PL). Ele poderá vetar trechos da proposta aprovada pelos parlamentares.

Entre as principais mudanças anunciadas está a possibilidade de trocar a bandeira do cartão e de sacar em dinheiro o saldo que não tiver sido usado após 60 dias.

Atualmente, os benefícios pode ser utilizados apenas para o pagamento de refeições em restaurantes e lanchonetes ou para a compra de alimentos, sendo proibido o uso do benefício para a compra de bebidas alcoólicas e cigarro.

O Ministério do Trabalho e Previdência alega que o benefício tem sido usado outras finalidades, como pagamento de TV a cabo e academias. A ideia é tentar barrar esse tipo de "fraude".

No entanto, caso o usuário não gaste o saldo, ele poderá sacar o valor, de acordo com a proposta aprovada. Dessa forma, o trabalhador poderia usar o dinheiro para outras coisas além de alimentos, o que desvirtuaria a finalidade do PAT (Programa de Alimentação do Trabalhador).

A MP ainda encerra a possibilidade das companhias de vale-alimentação e refeição concederem descontos para os empregadores que contratam o serviço para o time de colaboradores.

De acordo com o governo, esse desconto era compensado com a cobrança de taxas mais altas aos estabelecimentos que vendem comida, o que fazia com que o preço dos produtos ficasse mais caro.

Outra parte da proposta aponta que o trabalhador poderá solicitar ao empregador a portabilidade gratuita entre planos do serviço de VA e VR. Ainda seria possível usar o cartão em estabelecimentos que não são credenciados pela bandeira.