Mercado fechado
  • BOVESPA

    117.560,83
    +363,01 (+0,31%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    46.326,68
    +480,85 (+1,05%)
     
  • PETROLEO CRU

    88,41
    -0,04 (-0,05%)
     
  • OURO

    1.718,50
    -2,30 (-0,13%)
     
  • BTC-USD

    19.986,51
    -400,16 (-1,96%)
     
  • CMC Crypto 200

    454,55
    -8,57 (-1,85%)
     
  • S&P500

    3.744,52
    -38,76 (-1,02%)
     
  • DOW JONES

    29.926,94
    -346,93 (-1,15%)
     
  • FTSE

    6.997,27
    -55,35 (-0,78%)
     
  • HANG SENG

    17.858,84
    -153,31 (-0,85%)
     
  • NIKKEI

    27.160,33
    -150,97 (-0,55%)
     
  • NASDAQ

    11.539,00
    -2,75 (-0,02%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1150
    +0,0015 (+0,03%)
     

Veja o comportamento do PIB de diversos países no 2º trimestre de 2022

SÃO PAULO, SP - RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - Um levantamento com 33 países que já divulgaram dados para o PIB (Produto Interno Bruto) no segundo trimestre de 2022 mostra que o crescimento médio dessas economias foi de 0,5%, segundo dados disponibilizados pela OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico).

São 24 países com crescimento, 2 com estabilidade e 7 com retração, na comparação com o trimestre anterior. O PIB do Brasil cresceu 1,2% no segundo trimestre em relação ao anterior, de acordo com informação divulgada nesta quinta-feira (1º) pelo IBGE.

Holanda, Romênia, Croácia, Arábia Saudita e Israel estão entre os que mais cresceram no trimestre passado. Portugal, Lituânia, Letônia, Polônia e China ficam na lanterna desse ranking.

O PIB da China teve forte desaceleração no trimestre. A atividade industrial e os gastos dos consumidores foram afetados por lockdowns generalizados para conter os casos recordes de Covid-19. No primeiro semestre, o PIB cresceu 2,5%, muito abaixo da meta do governo de 5,5% para este ano.

O continente europeu está nas duas pontas do ranking. O crescimento na zona do euro foi de 0,7%. Os economistas esperavam desaceleração após o crescimento de 0,5% em janeiro-março, mas a atividade permaneceu forte, graças a setores como o turismo.

As projeções do FMI (Fundo Monetário Internacional) apontam um crescimento da economia global de 3,2% neste ano, sendo 1,7% para o Brasil, 2,3% para os EUA, 2,6% para a zona do euro e 3,3% para a China. Em guerra, a Rússia deve encolher 6%.