Mercado fechará em 15 mins
  • BOVESPA

    110.011,33
    -1.912,60 (-1,71%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.984,58
    -249,79 (-0,49%)
     
  • PETROLEO CRU

    77,87
    -2,11 (-2,64%)
     
  • OURO

    1.781,20
    -28,40 (-1,57%)
     
  • BTC-USD

    17.090,38
    -22,11 (-0,13%)
     
  • CMC Crypto 200

    403,88
    -7,33 (-1,78%)
     
  • S&P500

    4.006,15
    -65,55 (-1,61%)
     
  • DOW JONES

    33.995,97
    -433,91 (-1,26%)
     
  • FTSE

    7.567,54
    +11,31 (+0,15%)
     
  • HANG SENG

    19.518,29
    +842,94 (+4,51%)
     
  • NIKKEI

    27.820,40
    +42,50 (+0,15%)
     
  • NASDAQ

    11.841,25
    -169,00 (-1,41%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5326
    +0,0386 (+0,70%)
     

Veja novas fotos da superfície da Lua tiradas pela nave Orion em sobrevoo

A nave Orion sobrevoou a Lua no início desta semana como parte da missão Artemis I, e aproveitou para tirar fotos incríveis do nosso satélite natural. O sobrevoo levou a Orion para pertinho da superfície lunar (apenas 130 km), rendendo uma oportunidade única para fotografar a Lua com as câmeras a bordo.

As fotos foram tiradas pela câmeras de navegação óptica da Orion no 6º dia da missão, mesmo dia em que a nave acionou seus motores, iniciando uma manobra que a aproximou da superfície lunar e ainda a preparou para entrar na órbita retrógrada distante (DRO), ao redor da Lua.

Superfície lunar fotografada durante sobrevoo da Orion (Imagem: Reprodução/NASA)
Superfície lunar fotografada durante sobrevoo da Orion (Imagem: Reprodução/NASA)

A Orion finalizou o acionamento dos motores no lado afastado da Lua, onde os sinais de rádio vindos da Terra não conseguem chegar. Assim, houve uma interrupção temporária da comunicação com a missão, mas o procedimento deu certo: às 09h44 (horário de Brasília), a nave sobrevoou a superfície lunar a apenas 130 km de distância.

Desde o início da missão, a Orion tirou fotos da Terra e Lua em diferentes distâncias e condições de iluminação, para testar o funcionamento e efetividade da câmera de navegação. Além de documentar a missão, os testes são importantes também mostrar as capacidades das câmeras, quando forem usadas em ajustes de orientação da nave nas futuras missões tripuladas do programa Artemis.

Crateras lunares se destacam nas fotos tiradas pelas câmeras da Orion (Imagem: Reprodução/NASA)
Crateras lunares se destacam nas fotos tiradas pelas câmeras da Orion (Imagem: Reprodução/NASA)

Agora, a Orion está se preparando para uma manobra que irá colocá-la na órbita retrógrada distante. Nesta sexta-feira (25), a nave acionará seus motores para o procedimento e, se tudo correr bem, vai ficar na órbita lunar por aproximadamente uma semana. Depois, ela iniciará a viagem de volta para a Terra, pousando no oceano Pacífico no início de dezembro.

A Artemis I é uma missão planejada para testar o desempenho da cápsula Orion e do foguete Space Launch System, usado no lançamento. Tudo dando certo, a nave e o veículo podem levar astronautas a bordo na missão Artemis II, que será lançada com destino à órbita lunar. A NASA planeja lançá-la em 2024. Depois disso vem a Artemis II, essa sim levando astronautas novamente à superfície da Lua. A data em que isso vai acontecer ainda é incerta, mas os planos atuais da agência sugerem que seja em 2025.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: