Mercado fechado
  • BOVESPA

    121.113,93
    +413,26 (+0,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.726,98
    +212,88 (+0,44%)
     
  • PETROLEO CRU

    63,07
    -0,39 (-0,61%)
     
  • OURO

    1.777,30
    +10,50 (+0,59%)
     
  • BTC-USD

    61.678,23
    -1.859,23 (-2,93%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.398,97
    +7,26 (+0,52%)
     
  • S&P500

    4.185,47
    +15,05 (+0,36%)
     
  • DOW JONES

    34.200,67
    +164,68 (+0,48%)
     
  • FTSE

    7.019,53
    +36,03 (+0,52%)
     
  • HANG SENG

    28.969,71
    +176,57 (+0,61%)
     
  • NIKKEI

    29.683,37
    +40,68 (+0,14%)
     
  • NASDAQ

    14.024,00
    +10,00 (+0,07%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6872
    -0,0339 (-0,50%)
     

Veja foto do maior asteroide que passará perto da Terra em 2021

Daniele Cavalcante
·2 minuto de leitura

No próximo domingo (21), um asteroide considerado potencialmente perigoso para a Terra fará uma aproximação com nosso planeta. Trata-se do objeto chamado (231937) 2001 FO32, uma rocha com diâmetro estimado de 0,8 a 1,7 km e que foi descoberta há exatos 20 anos. Esta será a maior rocha espacial que se aproximará da Terra durante todo o ano de 2021, mas, ainda que os astrônomos a classifiquem como uma possível ameaça, não será dessa vez que apresentará algum perigo.

O asteroide está destacado com uma seta na imagem acima (Imagem: Reprodução/The Virtual Telescope Project)
O asteroide está destacado com uma seta na imagem acima (Imagem: Reprodução/The Virtual Telescope Project)

Essa rocha espacial faz parte dos asteroides Apollo, um grupo cujas órbitas estão localizadas próximas à da Terra. Por isso, ele é catalogado como um NEO (sigla para o termo em inglês Near-Earth Object, ou Objeto Próximo da Terra). Na madrugada desta quinta-feira (11), ainda estava a cerca de 32 milhões de km da Terra, o asteroide foi capturado pelas lentes do The Virtual Telescope Project.

A imagem foi obtida com uma única exposição de 180 segundos através da unidade robótica “Elena”, um dos telescópios remotamente controlados do projeto. Elena rastreou o movimento aparente rápido da rocha e o acompanhou, enquanto as estrelas permaneciam fixas em relação ao (231937) 2001 FO32. Como o pedregulho espacial ainda está muito distante, sua imagem é apenas um pontinho, enquanto as estrelas se tornaram grandes faróis devido à exposição prolongada.

O (231937) 2001 FO32 ainda vai se aproximar muito, até chegar perto de 2 milhões de km de distância da Terra, ou seja, cerca de 5,2 vezes a distância lunar média. Perto o bastante para observá-lo e distante o suficiente para ficarmos tranquilos. O mesmo vale para qualquer outro asteroide conhecido — por enquanto, nenhum deles tem chance de entrar em colisão com a Terra. Mesmo os mais próximos passam por nós a uma distância segura e não representam nenhum perigo.

Órbita do asteroide 2001 FO32, representada pela linha branca (Imagem: Reprodução/NASA/JPL)
Órbita do asteroide 2001 FO32, representada pela linha branca (Imagem: Reprodução/NASA/JPL)

Por outro lado, o cenário pode mudar a qualquer momento, pois asteroides são difíceis de detectar, principalmente os menores, por não serem muito brilhantes. Portanto, não se pode descartar a possibilidade (ainda que pequena) de que a NASA ou a ESA encontre alguma ameaça real que tenha passado desapercebida. Se isso acontecer, as agências espaciais estarão atentas para colocar em prática alguns planos de defesa terrestre.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: