Mercado fechado

Veja como vai funcionar a primeira loja autônoma da Americanas

·2 min de leitura
  • Loja não terá atendimento por parte de funcionários

  • Conhecida pelas ofertas de cashback, essa é a primeira localidade de uma loja física da Ame

  • Ambiente mistura espaço físico com tecnologia digital para funcionar

A Americanas, através da marca Ame, inaugurou nesta terça-feira (23) sua primeira loja física inteiramente autônoma, ou seja, sem funcionários para auxiliar o cliente ou realizar pagamentos.

A loja foi aberta no aeroporto do Galeão, no Rio de Janeiro, mas se tudo for de acordo com os planos da empresa, em breve ela estará disponível nos demais aeroportos do país. A nova localidade terá 35 metros quadrados e cerca de 250 itens à venda.

Até agora a Ame era conhecida pelas suas ofertas de cashbacks em lojas físicas e virtuais. A nova expansão da empresa, chamada de Ame Go, permitirá a compra de itens de conveniência de maneira rápida e simples.

Leia também:

Como funciona

O novo espaço autônomo funciona da seguinte forma: O cliente para entrar deve escanear o aplicativo Ame de seu smartphone em uma catraca.

Enquanto faz compras, uma série de compras reconhece o cliente e identifica quais produtos estão sendo pegos nas prateleiras.

Através dessa leitura, o valor de cada produto é debitado da carteira digital do cliente no aplicativo.

Nova investida da empresa

Para João Guerra, diretor de tecnologia da informação da plataforma física da Americanas, ao unir os ambientes físico e digital, a nova loja é uma reviravolta na experiência de consumo dos clientes da empresa.

"Essa aposta marca ainda a entrada do Ame no mundo físico. Com esse sistema, podemos abrir lojas maiores e menores. Estamos testando todas as soluções possíveis. Esse sistema usa uma combinação de visão computacional, inteligência artificial e algoritmos. A loja conta com mais de 35 câmeras no teto e cada uma consegue analisar até 20 imagens juntas", diz Guerra.

"Nesses dois últimos anos, ajustamos o software para o padrão brasileiro, já que o consumidor tem uma estatura menor que o americano. Além disso, também foram ajustados os próprios produtos vendidos no país, já que uma lata de refrigerante é diferente da que é vendida nos EUA", ressaltou Guerra.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos