Mercado abrirá em 4 h 43 min

Veja como se preparar na reta final do concurso da Receita Federal

***ARQUIVO***BRASÍLIA, DF, 04.01.2022 - Fachada do prédio da Superintendência da Receita Federal, em Brasília. (Foto: Antonio Molina/Folhapress)
***ARQUIVO***BRASÍLIA, DF, 04.01.2022 - Fachada do prédio da Superintendência da Receita Federal, em Brasília. (Foto: Antonio Molina/Folhapress)

CURITIBA, PR (FOLHAPRESS) - As provas para o concurso da Receita Federal serão realizadas neste domingo (19). Há 156.373 inscritos para 699 vagas, divididas entre os cargos de analista tributário e auditor fiscal.

Os exames ocorrerão em todas as capitais do país. Inscritos podem conferir seu local de prova no site https://conhecimento.fgv.br/concursos/rfb22.

A maioria das vagas (469) é para o cargo de analista tributário; as 230 restantes são para auditor fiscal. Há cotas para pessoas com deficiência e para negros, correspondendo a 5% e 20% do total, respectivamente.

O QUE ESPERAR DO DIA DE PROVAS

O dia de provas será dividido em duas etapas. Pela manhã, das 8h às 12h30, será realizada a prova objetiva de conhecimentos básicos. À tarde, entre 15h e 19h30, será o exame de conhecimentos específicos, além da prova discursiva. Os candidatos devem chegar com no mínimo meia hora de antecedência, considerando o horário oficial de Brasília (DF).

Segundo o edital, a prova objetiva terá 140 questões de múltipla escolha entre cinco alternativas, com apenas uma resposta correta. As disciplinas abordadas e o número de questões por turno variam de acordo com o cargo

É necessário acertar metade das questões dos exames de conhecimento básicos e específicos, além de não zerar em nenhuma das disciplinas, para não ser eliminado. Entre os aprovados nesta etapa, apenas uma parcela terá a prova discursiva corrigida, de acordo com a classificação na prova objetiva.

MOMENTO É DE REVISÃO, APONTAM PROFESSORES

"O candidato precisa aceitar que, neste momento, não há mais tempo para aprender conteúdos novos", diz Arthur Lima, professor do Direção Concursos. Para o professor, o candidato deve focar em aumentar a chance de acertar questões sobre o que já foi estudado.

Lima pontua que é importante tentar encaixar a realização de exercícios, mas a prioridade é a revisão teórica, que prepararia o candidato para uma diversidade maior de assuntos que podem ser explorados. "É bem provável que a FGV vá fazer uma prova especialmente desenhada para o órgão, e isto pode significar que muitas questões da prova não guardem relação direta com questões cobradas em provas anteriores."

Alexandre Meirelles, professor no Gran Cursos Online, concorda que o custo-benefício é maior ao relembrar conteúdos já estudados e recomenda que, se possível, o candidato assista a aulas ou leia materiais de revisão de algumas disciplinas, focando especialmente as partes que envolvem decorar leis e fórmulas matemáticas.

Também ressalta a importância do descanso nestes últimos dias: "Estudar pouco, descansar, tentar dormir bem, consumir refeições leves e decorar as últimas informações que envolvem mais decoreba."

Para Lima, a véspera da prova é um bom momento para fixar tais conteúdos: "É o caso, por exemplo, das várias fórmulas de estatística. Quando fiz o concurso e fui aprovado para os cargos de auditor e analista, dediquei estes momentos finais justamente à memorização destas fórmulas e de outros aspectos presentes em disciplinas como contabilidade, economia, direito previdenciário e legislação tributária."

DEDIQUE TEMPO AO PLANEJAMENTO DA PROVA DA RECEITA

"Trata-se de uma prova extensa, com muitos conteúdos distintos, e bastante cansativa. É fundamental definir desde já por qual disciplina o candidato irá começar a prova, quando fará a parte discursiva e se fará ou não um rascunho antes de escrever à caneta", recomenda Lima.

O professor indica não fazer rascunho, mas sim, escrever uma lista de tópicos para guiar o pensamento durante a produção do texto definitivo, permitindo economizar tempo na prova discursiva.

Além disso, o candidato deve ter cuidado com o tempo de resolução das questões objetivas. "Precisa ter em mente a regra do edital: nenhuma questão da prova tem peso maior que a outra. Portanto, se uma questão está muito longa, trabalhosa, ou mesmo difícil, é melhor avançar para a próxima e tentar garantir um volume maior de acertos", recomenda Lima.

Caso sobre tempo, tais questões podem ser revisitadas ao final da prova. "Também é importante lembrar que o candidato não pode zerar nenhuma disciplina. Portanto, por segurança, é importante tentar garantir pelo menos duas ou três questões em cada matéria", diz o professor.

Como a prova consiste em dois turnos, o planejamento do horário do almoço não é menos importante: "É importante já pesquisar algumas opções de alimentação nas imediações, caso o candidato não vá levar a sua refeição, e buscar alguma forma de relaxar após o almoço para voltar bem disposto para enfrentar a prova do período vespertino", recomenda Lima.

ANSIEDADE É COMUM NESTA RETA FINAL

Meirelles diz que a ansiedade é normal nesta reta final, mas relembra os candidatos que o concurso é mais uma tentativa de ser aprovado na área, e não a única: "O concurso da Receita Federal é mais um dos vários concursos fiscais que tivemos nos últimos meses e ainda teremos nos próximos. Faça a prova com todo o afinco possível e acredite em você.

Acredite que fazendo bem seu papel, será questão de tempo encontrar seu nome no Diário Oficial da União ou em algum estadual ou municipal."

O professor também ressalta a importância de confiar em sua preparação e lembrar que não existe o estudante perfeito: "Ter a consciência de que se estudou de forma correta boa parte do tempo, tem grandes chances de realizar uma boa prova. Confiar no seu conhecimento e não colocar toda a pressão do mundo em sua aprovação, pois há vida após prova, sendo aprovado ou não", conclui Meirelles.

O QUE LEVAR NO DIA DA PROVA

Segundo o edital, no dia da prova os candidatos devem levar:

- Caneta esferográfica de material transparente, com tinta azul ou preta;

- Documento de identidade original;

- Comprovante de inscrição ou de pagamento da taxa de inscrição.

O QUE ESPERAR DA PROVA OBJETIVA PARA AUDITOR FISCAL?

A prova de conhecimentos básicos para o cargo de auditor fiscal, realizada pela manhã, contará com 80 questões. Os temas mais abordados serão língua portuguesa e fluência em dados, cada um com dez questões.

No período da tarde, a prova objetiva de conhecimentos específicos envolverá 60 questões. As disciplinas mais abordadas serão direito tributário e legislação aduaneira, com dez questões cada.

O QUE ESPERAR DA PROVA OBJETIVA PARA ANALISTA TRIBUTÁRIO?

Para o cargo de analista tributário, a prova de conhecimentos básicos contará com 70 questões. O edital prevê que as disciplinas mais cobradas serão língua portuguesa e fluência em dados, cada uma com 15 questões.

À tarde, a prova de conhecimentos específicos também terá 70 questões, com a maioria (16) focada em direito tributário e previdenciário.

COMO SERÁ A PROVA DISCURSIVA DO CONCURSO DA RECEITA?

Para o cargo de auditor fiscal, serão duas questões discursivas, cada uma valendo 30 pontos. Já para candidatos à analista tributário será apenas uma questão discursiva, também valendo 30 pontos.