Mercado abrirá em 7 h 6 min

Veja como fugir do golpe do 'dinheiro esquecido' em bancos

Golpe com celular
Banco Central anunciou, na segunda-feira (24), que há cerca de R$ 8 bilhões remanescentes em contas antigas disponíveis para saque
  • Criminosos criaram golpe que usa como isca a plataforma do Banco Central;

  • Sistema permite que cidadãos retirem quantias esquecidas em bancos;

  • Golpe visa obter dados pessoais e bancários das vítimas, utilizados em outras fraudes.

Na última segunda-feira (24), o Banco Central anunciou que há cerca de R$ 8 bilhões remanescentes em contas antigas que já podem ser resgatados pelos cidadãos. No entanto, criminosos aproveitaram a oportunidade para criar, em tempo recorde, um golpe que usa como isca a plataforma desenvolvida pela entidade.

Leia também:

A fraude funciona da seguinte maneira: o golpista entra em contato com a vítima e diz que ela tem uma quantia a receber do Banco Central. Para sacá-la, deve clicar em um link enviado por e-mail ou em aplicativos de mensagem.

Na contramão do que parece, o objetivo não é obter o saldo das contas das vítimas, já que as quantias costumam ser irrisórias. A meta é conseguir dados pessoais e bancários para então usá-los em outros golpes. Dentre eles, estão compras no crediário e acesso ao celular da pessoa e ao internet banking. As informações são do Extra.

O que fazer caso caia no golpe

Ao jornal, o advogado João Quinelato explicou que a melhor saída é recolher provas para registrar queixa na polícia. “É importante coletar prints de WhatsApp, áudios, histórico de ligações. Todos esses elementos devem ser entregues em sede policial, porque essa prática configura crime de estelionato”.

Tanto o fraudador quanto o banco podem ser punidos, já que é responsabilidade da instituição financeira checar a idoneidade dos clientes.

O que diz o Banco Central

Em nota, a entidade informou que não entra em contato direto com os cidadãos.

Aqueles que tiverem quantias a receber devem acessar, por meio de login e senha, o Sistema de Valores a Receber (SRV), quando voltar a ser disponibilizado, já que saiu do ar nesta terça-feira (25). As transferências são feitas diretamente pelas instituições bancárias.