Mercado abrirá em 2 h 38 min
  • BOVESPA

    111.716,00
    -2.354,00 (-2,06%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.395,94
    -928,96 (-2,01%)
     
  • PETROLEO CRU

    78,24
    -0,50 (-0,64%)
     
  • OURO

    1.646,70
    -8,90 (-0,54%)
     
  • BTC-USD

    19.100,11
    +74,66 (+0,39%)
     
  • CMC Crypto 200

    437,52
    -7,02 (-1,58%)
     
  • S&P500

    3.693,23
    -64,76 (-1,72%)
     
  • DOW JONES

    29.590,41
    -486,29 (-1,62%)
     
  • FTSE

    6.961,45
    -57,15 (-0,81%)
     
  • HANG SENG

    17.855,14
    -78,13 (-0,44%)
     
  • NIKKEI

    26.431,55
    -722,28 (-2,66%)
     
  • NASDAQ

    11.298,50
    -78,25 (-0,69%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,0739
    -0,0237 (-0,46%)
     

Vazamento expõe dados de 300 mil usuários do Mercado Livre

·1 min de leitura
  • Mercado Livre é a maior plataforma de e-commerce da América Latina

  • Suspeita é de que o grupo hacker Lapsus$ tenha feito o vazamento

  • Empresa diz que não há comprometimento nos sistemas de infraestrutura

Os dados de cerca de 300 mil usuários da plataforma Mercado Livre foram alvo de um vazamento. De acordo com a empresa, a falha aconteceu nesta segunda-feira (7) e se deu após um acesso indevido ao código-fonte do site, que foi constatado pelo setor de segurança da informação da companhia.

Ainda segundo o Mercado Livre, apesar do vazamento, não foram encontrados indícios de comprometimento nos sistemas de infraestrutura. Senhas de usuário, saldos em conta, investimentos, informações financeiras ou de cartões de crédito e débito estão seguras, segundo comunicado da companhia.

O Mercado Livre é a maior plataforma de e-commerce da América Latina, com mais de 140 milhões de usuários únicos. Os cerca de 300 mil que tiveram os dados acessados representam 0,2% clientes.

A empresa informou que está realizando uma “análise exaustiva” da invasão e que está "tomando medidas rigorosas para evitar novos incidentes”. A plataforma se soma ao Itaú Unibanco e Nubank, que tiveram problemas com tecnologia nas últimas semanas.

O principal suspeito de realizar o vazamento dos dados é o grupo hacker Lapsus$. Pelo Telegram, eles afirmaram estar em posse de dados das empresas MercadoLibre (nome do controlador do MercadoLivre), MercadoPago, Vodafone e a Impresa (maior empresa de mídia de Portugal).

No domingo (6), o grupo fez um post perguntando qual deveria ser seu próximo vazamento e listando essas três empresas. Até o momento, além do Mercado Livre, não há nenhuma comprovação de que houve apropriação dos dados dessas empresas por parte do grupo.