Mercado fechará em 2 h 34 min

Vazamento de ar na ISS: suprimentos para conserto podem ser enviados em dezembro

Danielle Cassita
·2 minuto de leitura

O problema envolvendo o vazamento de ar na Estação Espacial Internacional (ISS), que já ocorre há desde o ano passado, poderá finalmente receber uma solução: segundo informações de Vladimir Solovyov, diretor de voo do segmento russo do laboratório orbital, suprimentos de oxigênio e materiais para reparo serão entregues em dezembro para um conserto completo da rachadura no módulo Zvezda, que vem causando o vazamento.

O problema estava em uma rachadura de 4 cm do compartimento de transferência no módulo. Já no final de outubro, o cosmonauta Ivan Vagner informou que o vazamento foi consertado temporariamente com fita, mas o ar continuou vazando. Agora, os especialistas dos centros de pesquisa TSNIIMASH e Khrunichev, ambos da agência espacial russa Roscosmos, estão analisando a causa da rachadura no módulo para determinar uma solução que resolva o problema de uma vez por todas: “em dezembro, provavelmente vamos levar nitrogênio e selantes para a ISS”, disse Solovyov ao jornal Russky Kosmos. De acordo com o oficial, a rachadura no módulo tem a espessura de um fio de cabelo.

O módulo russo Zvezda (Imagem: Reprodução/NASA)
O módulo russo Zvezda (Imagem: Reprodução/NASA)

O cosmonauta Sergey Ryzhikov, que está ficará por seis meses na ISS durante a missão da Expedição 64, comentou com Solovyov que a rachadura pode ter sido causada por algum objeto que atingiu a estação, e sugeriu examinar a área externa do módulo durante uma caminhada espacial que deverá ocorrer em 18 de novembro. Entretanto, o diretor acredita que isso seria difícil e, segundo a Roscosmos, os especialistas consideram que ainda é cedo para confirmar que a rachadura foi causada por um impacto externo. Solovyov também não especificou qual será a nave que irá entregar os materiais para o reparo; atualmente, a única que tem um voo agendado para dezembro é a Cargo Dragon, da SpaceX. Além disso, o próximo voo da Progress MS-16, nave russa de cargas, foi adiado para dezembro de 2021.

Vale lembrar que o vazamento não é motivo para preocupação — tanto que Ryzhikov reconhece isso e declarou a repórteres que pequenos vazamentos ocorrem todos dias por lá. "Agora o vazamento está um pouco acima do normal, e estamos trabalhando para encontrá-lo e consertá-lo. Então, não se preocupem", disse. Mesmo assim, esse vazamento de ar é um problema mais longo do que parece: houve um leve aumento na taxa de vazamento de ar padrão em 2019, mas a NASA não pôde reunir dados suficientes sobre o problema na época devido às operações de rotina. Já em agosto de 2020, o vazamento apresentou aumento. Desde então, a tripulação precisou se confinar algumas vezes no módulo russo do laboratório para a realização de investigações em busca do módulo onde o problema ocorria; foi somente em outubro que os cosmonautas identificaram que uma rachadura no módulo Zvezda era a causa do vazamento.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: