Mercado fechado
  • BOVESPA

    117.380,49
    -948,51 (-0,80%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.683,55
    -126,65 (-0,28%)
     
  • PETROLEO CRU

    52,22
    -0,05 (-0,10%)
     
  • OURO

    1.854,70
    -1,50 (-0,08%)
     
  • BTC-USD

    32.552,10
    +74,12 (+0,23%)
     
  • CMC Crypto 200

    665,75
    +55,76 (+9,14%)
     
  • S&P500

    3.841,47
    -11,60 (-0,30%)
     
  • DOW JONES

    30.996,98
    -179,02 (-0,57%)
     
  • FTSE

    6.695,07
    -20,35 (-0,30%)
     
  • HANG SENG

    29.677,30
    +229,45 (+0,78%)
     
  • NIKKEI

    28.740,12
    +108,67 (+0,38%)
     
  • NASDAQ

    13.441,75
    +80,25 (+0,60%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6547
    +0,0027 (+0,04%)
     

Vazamento de ar na ISS pode ter sido causado por impacto de micrometeorito

Danielle Cassita
·2 minuto de leitura

Desde 2019, um pequeno vazamento de ar vem ocorrendo a bordo do segmento russo da Estação Espacial Internacional (ISS). Depois de várias buscas, os tripulantes descobriram que a causa era uma rachadura no módulo russo Zvezda, e a consertaram provisoriamente. Agora, Dmitry Rogozin, diretor da agência espacial russa Roscosmos, sugere que o problema pode ter sido causado por um impacto de micrometeorito.

Essa possibilidade já havia sido levantada por especialistas da Roscosmos no ano passado, mas na época eles consideraram ser muito cedo para confirmar que a causa era, de fato, um impacto do tipo. Para ele, é possível que um micrometeorito tenha atingido a área e criado o "arranhão". Essa fala de Rogozin ocorreu durante uma entrevista concedida ao canal estatal Rossiya 24, na qual ele também propôs que o dano seja, na verdade, de natureza “tecnológica” — entretanto, essa possibilidade não foi detalhada.

O módulo russo Zvezda (Imagem: Reprodução/NASA)
O módulo russo Zvezda (Imagem: Reprodução/NASA)

O problema com o vazamento foi observado pela primeira vez no final de 2019, quando a NASA publicou um comunicado sobre um leve aumento na taxa de vazamento de ar padrão. Desde então, já foram realizados diversos procedimentos para buscar a origem exata do vazamento, tanto que os astronautas precisaram se confinar no módulo russo algumas vezes enquanto as buscas eram feitas. Somente em setembro do ano passado foi confirmado que a saída de ar ocorria na área principal do módulo Zvezda e, mais especificamente, em uma rachadura.

Assim, já foram realizadas algumas tentativas de conserto temporário, como selar a rachadura com fita resistente ao calor. Entretanto, como esses procedimentos não foram feitos para resolver a questão definitivamente, é esperado que um equipamento especial e apropriado para o reparo seja enviado para o laboratório orbital em fevereiro. Durante uma entrevista de rádio, Rogozin comentou que “será enviada uma nave Progress para entregar suprimentos vitais e os equipamentos para um estudo mais detalhado sobre as causas do vazamento de ar a bordo da estação”.

Enquanto estes suprimentos não chegam, a tripulação está atualmente em busca de um possível novo vazamento na câmara de transição do módulo Zvezda — desta vez, o vazamento foi reportado no fim de dezembro do ano passado por um especialista do centro de controle de missão, que apontou ainda não ser possível saber a localização exata.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: