Mercado abrirá em 30 mins
  • BOVESPA

    128.405,35
    +348,35 (+0,27%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.319,57
    +116,77 (+0,23%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,83
    +0,19 (+0,27%)
     
  • OURO

    1.778,70
    +9,70 (+0,55%)
     
  • BTC-USD

    32.624,68
    -898,78 (-2,68%)
     
  • CMC Crypto 200

    797,68
    -142,27 (-15,14%)
     
  • S&P500

    4.166,45
    -55,41 (-1,31%)
     
  • DOW JONES

    33.290,08
    -533,32 (-1,58%)
     
  • FTSE

    7.027,59
    +10,12 (+0,14%)
     
  • HANG SENG

    28.489,00
    -312,27 (-1,08%)
     
  • NIKKEI

    28.010,93
    -953,15 (-3,29%)
     
  • NASDAQ

    14.073,75
    +38,75 (+0,28%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,0129
    -0,0232 (-0,38%)
     

Vasco tem R$ 6 milhões para receber da Caixa desde 2017, mas falta de certidões negativas impede repasse

·1 minuto de leitura

Em meio à necessidade de gerar novas receitas, o Vasco vê uma relevante presa no limbo. Ela consta em seus balanços como para receber, mas o clube entrou no quarto ano sem ter data para que isso aconteça. Trata-se da última parcela referente ao patrocínio da Caixa Econômica Federal, que deveria ter sido paga ainda em 2017, no valor de R$ 6 milhões.

O patrocínio não cai na conta de São Januário porque o clube não possui as certidões negativas de débito necessárias para o recebimento do valor, condição para que a entidade esportiva receba patrocínio de empresa estatal. Assinado pela primeira vez em 2013, acabou não renovado ao fim de 2017. Um dos motivos para isso foi justamente a dificuldade do cruz-maltino na ocasião de conseguir as CNDs.

No começo de 2020, uma manobra na Justiça do Trabalho tentou fazer com que o dinheiro fosse disponibilizado. O Sindicato dos Funcionários de Clubes do Rio (Sindiclubes) solicitou a liberação da verba para que os salários do clube fossem pagos. Depois da decisão favorável, a Caixa recorreu e conseguiu suspender o pagamento alegando uma série de pendências, além das certidões, relatórios de exposição de marca e prestação de contas.

Os problemas do Vasco com patrocínios de estatais são antigos. Ainda no período de Roberto Dinamite na presidência, o clube teve dificuldades para receber as parcelas da Eletrobras. A cada ano que passa, o repasse da Caixa de R$ 6 milhões, sem correção da inflação, perde valor real, o que significa prejuízo para o cruz-maltino.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos