Mercado fechado
  • BOVESPA

    102.224,26
    -3.586,99 (-3,39%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.492,52
    -1.132,48 (-2,24%)
     
  • PETROLEO CRU

    68,15
    -10,24 (-13,06%)
     
  • OURO

    1.788,10
    +1,20 (+0,07%)
     
  • BTC-USD

    54.331,85
    -740,46 (-1,34%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.365,60
    -89,82 (-6,17%)
     
  • S&P500

    4.594,62
    -106,84 (-2,27%)
     
  • DOW JONES

    34.899,34
    -905,04 (-2,53%)
     
  • FTSE

    7.044,03
    -266,34 (-3,64%)
     
  • HANG SENG

    24.080,52
    -659,64 (-2,67%)
     
  • NIKKEI

    28.751,62
    -747,66 (-2,53%)
     
  • NASDAQ

    16.051,00
    -315,00 (-1,92%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3485
    +0,1103 (+1,77%)
     

Vasco planeja pagamento de R$ 200 milhões de dívida com 20% de receita mensal

·2 min de leitura

Com o comprometimento de 20% de sua receita mensal por seis anos, o Vasco promete quitar uma dívida de R$ 200 milhões referente a passivos cíveis e trabalhistas no concurso de credores no Regime Centralizado de Execuções. Esse foi o plano apresentado pelo clube na última sexta-feira ao Tribunal de Justiça e ao Tribunal Regional do Trabalho do Estado do Rio.

Os 20% da receita mensal são variáveis e, de acordo com o clube, representam aproximadamente R$ 1 milhão atualmente. Caso o clube aumente sua arrecadação no futuro, poderá quitar a dívida mais rapidamente.

José Cândido Bulhões Pedreira, vice jurídico do Vasco, foi quem liderou o processo na Justiça, assessorado pelo CEO Luiz Mello. Segundo ele, a projeção apresentada foi conservadora.

— Fomos responsáveis e indicamos a quitação do passivo cível e trabalhista em cerca de seis anos, dentro dos parâmetros da lei. As receitas dos clubes são variáveis em sua maioria, e por isso a lei prevê prazo de até dez anos — explicou.

O Vasco seguirá contestando na Justiça cobranças de dívidas que não reconhece ou de valores que considera excessivos, mesmo com o plano de quitação. Bulhões explicou ainda que a ordem dos pagamentos respeitará o previsto na legislação em vigor.

Os pagamentos mensais contemplarão inicialmente idosos, seguindo para pessoas com doenças graves, pessoas cujos créditos de natureza salarial sejam inferiores a 60 salários-mínimos, gestantes, pessoas vítimas de acidente de trabalho oriundo da relação de trabalho com o clube e credores com os quais haja acordo que preveja redução da dívida em pelo menos 30%. Após quitação de todos os credores preferenciais, o clube iniciará o pagamento dos demais créditos em execução de acordo com a data de distribuição dos processos, a começar pelos mais antigos.

Segundo o clube, o plano de quitação da dívida será gerido com o auxílio de uma consultoria especializada. Os pagamentos estarão sob a fiscalização de uma auditoria independente.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos