Mercado fechado
  • BOVESPA

    112.291,59
    +413,06 (+0,37%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    43.934,21
    +259,38 (+0,59%)
     
  • PETROLEO CRU

    45,70
    +0,06 (+0,13%)
     
  • OURO

    1.844,80
    +3,70 (+0,20%)
     
  • BTC-USD

    19.455,06
    +506,16 (+2,67%)
     
  • CMC Crypto 200

    382,19
    +7,79 (+2,08%)
     
  • S&P500

    3.666,72
    -2,29 (-0,06%)
     
  • DOW JONES

    29.969,52
    +85,73 (+0,29%)
     
  • FTSE

    6.490,27
    +26,88 (+0,42%)
     
  • HANG SENG

    26.728,50
    +195,92 (+0,74%)
     
  • NIKKEI

    26.809,37
    +8,39 (+0,03%)
     
  • NASDAQ

    12.492,50
    +30,25 (+0,24%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2569
    -0,0629 (-1,00%)
     

Vasco joga bem e empata com o São Paulo no Morumbi: 1 a 1

Bruno Marinho
·2 minuto de leitura

Poucas vezes o Vasco vai ter a chance que teve neste domingo para vencer um dos postulantes ao título brasileiro. A formação acertada de Ricardo Sá Pinto, a tarde pouco inspirada do São Paulo, tudo conspirava a favor do time da Colina. Mas ainda não está no roteiro do Cruz-maltino ter algum alívio na tabela. Mesmo com um cenário favorável desses, a equipe cometeu erros capitais e saiu do Morumbi apenas com um empate em 1 a 1.

O maior dos vacilos foi cometido por Jadson, zagueiro que fez sua primeira partida como titular. Ele errou na saída de bola entregou a bola para Luciano empatar o placar para os paulistas. Até então, o São Paulo pouco ameaçava o gol defendido por Lucão, goleiro que fez sua primeira partida pelo Brasileiro. O esquema de três zagueiros funcionava e, mais do que isso, quando a bola era roubada no meio, a transição rápida para o ataque pegava o sistema defensivo adversário desprevenido.

Foi numa dessas escapadas que o Vasco abriu o placar, quando Cano foi lançado e partiu em velocidade do meio de campo para concluir sem chances para Volpi. Depois disso, outras arrancadas aconteceram e com boas trocas de passes entre os três homens de frente: Sá Pinto escalou Gustavo Torres, Vinícius e o centroavante argentino bem próximos em vez de dar a amplitude tradicional que os times adotam quando jogam com três atacantes.

Tudo isso aconteceu no primeiro tempo e o Vasco só não conseguiu um segundo gol por causa da falta de qualidade de Vinícius e Torres na hora do último passe ou da finalização. Um problema que foge da alçada de Sá Pinto, que escalou o melhor Vasco possível dentro dos nove desfalques que teve por causa da Covid-19.

No segundo tempo, o cenário da partida mudou um pouco porque, no começo, o São Paulo não ocupava tanto a área defensiva do Vasco e, consequentemente, não propiciava os contra-ataques da mesma maneira. Ainda assim, o Cruz-maltino conseguia jogar. Cano fez boa partida não apenas como o finalizador que é e descolou ótimo lançamento para Yago Pikachu. Na sequência do lance, quase Gustavo Torres marcou.

Depois, a pressão do time da casa cresceu e o Vasco ficou sem pernas para resistir na defesa e sair para o ataque da mesma forma que no primeiro tempo. A essa altura, o empate já era um bom resultado.

Ele persistiu até o fim e manteve o Vasco flertando demais com a zona de rebaixamento. Já o São Paulo desperiçou a chance de se tornar líder do Campeonato Brasileiro. O próximo jogo dos cariocas será quinta-feira, em Buenos Aires, contra o Defensa y Justicia, pelas oitavas de final da Sul-Americana.