Mercado abrirá em 8 h 58 min

Vasco: como a troca de prefeito no Rio pode afetar evolução do centro de treinamento

Bruno Marinho
·2 minuto de leitura
Pedro Teixeira / Agência O Globo

A mudança na prefeitura do Rio pode interferir no andamento das obras do centro de treinamento do Vasco, inaugurado no dia 23 de outubro, mas ainda com etapas de construção a serem cumpridas. O clube depende do poder municipal para conseguir evoluir nas obras e agora terá de esperar o processo de transição entre a gestão de Marcelo Crivella e a nova, de Eduardo Paes.

De saída, o Vasco precisa liberar completamente o terreno que recebeu da Prefeitura. Ele estava ocupado por famílias que têm sido gradativamente realocadas pelo poder público, sendo inseridas no programa de auxílio-moradia da cidade. Cerca de 20% delas ainda ocupam a área doada, localizada ao lado da comunidade da Cidade de Deus.

Além disso, os dirigentes vascaínos se preparam para iniciar o processo de aprovação do projeto definitivo do CT, o que, dentro do cronograma do clube, está previsto para acontecer em 2021.

As conversas do Vasco com a equipe de Crivella foram boas desde o momento em que o prefeito sinalizou com a doação do terreno em Jacarepaguá, o que se confirmou em maio do ano passado. Dentro de São Januário, a expectativa é de que o diálogo com a nova gestão possa seguir no mesmo nível.

Importante para reforma de São Januário

Eduardo Paes, quando foi prefeito da cidade, também cedeu terreno para o Vasco construir um centro de treinamento próprio, demanda antiga do Cruz-maltino. A cessão ocorreu em 2013, mas depois de três anos sem que o clube ocupasse o espaço, a prefeitura retomou a área, localizada em Vargem Grande.

Além do centro de treinamento já ativo em Jacarepaguá, outro projeto importante para o clube é a reforma e ampliação de São Januário. O presidente Alexandre Campello possui memorando de entendimento com a WTorre para a obra e conta com uma ampla revitalização urbana do entorno do estádio, o que dependeria da prefeitura do Rio. A conclusão das obras aconteceria em 2023, ainda durante a nova gestão de Paes.

Mesmo depois da saída de Campello da presidência, prevista paras janeiro, os dois principais favoritos para substitui-lo, Jorge Salgado e Luiz Roberto Leven Siano, também possuem a intervenção no estádio e no seu entorno como um dos principais projetos de gestão.