Mercado fechará em 3 h 41 min
  • BOVESPA

    129.569,83
    -638,13 (-0,49%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.871,50
    -158,04 (-0,31%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,68
    +0,80 (+1,13%)
     
  • OURO

    1.858,10
    -7,80 (-0,42%)
     
  • BTC-USD

    40.124,76
    -414,85 (-1,02%)
     
  • CMC Crypto 200

    999,89
    -10,72 (-1,06%)
     
  • S&P500

    4.245,30
    -9,85 (-0,23%)
     
  • DOW JONES

    34.245,68
    -148,07 (-0,43%)
     
  • FTSE

    7.172,48
    +25,80 (+0,36%)
     
  • HANG SENG

    28.638,53
    -203,60 (-0,71%)
     
  • NIKKEI

    29.441,30
    +279,50 (+0,96%)
     
  • NASDAQ

    14.069,50
    -55,25 (-0,39%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1646
    +0,0331 (+0,54%)
     

Variantes da Covid-19 ganham novos nomes para evitar estigmas com países

·1 minuto de leitura
Variantes da Covid-19 ganham novos nomes para evitar estigmas com países
Variantes da Covid-19 ganham novos nomes para evitar estigmas com países

Até então, as variantes da Covid-19 são chamadas pelos seus códigos em números ou informalmente pelos seus países de descoberta. Mas, para facilitar a diferenciação e evitar estigmas, a Organização Mundial de Saúde (OMS) deu nomes próprios para cada cepa.

A ideia é evitar que as variantes sejam chamadas pelo nome do país onde elas foram encontradas pela primeira vez. Com os novos nomes, cada cepa para a ser conhecida por uma letra diferente do alfabeto grego.

Então a B.1.1.7, encontrada pela primeira vez no Reino Unido, passa a se chamar Alpha. Já a B.1.617.2, localizada na Índia, se torna a Delta. A variante da Covid-19 que surgiu aqui no Brasil passa a ser a Gamma e a sul-africana a Beta. Essas foram classificadas como Variantes de Preocupação, que mudam o vírus de forma mais profunda e podem ser formas mais contagiosas da Covid-19.

Variantes da Covid-19

A OMS ainda classificou outras seis cepas como Variantes de Interesse, que foram localizadas em um grupo grande de pessoas e são potencialmente perigosas, mas ainda está sendo estudadas. No total, 10 letras do alfabeto grego foram usadas na nomenclatura das duas classificações (confira todas).

Leia também!

“Para auxiliar nas discussões públicas de variantes, a OMS reuniu um grupo de cientistas do Grupo de Trabalho de Evolução do Vírus da OMS, a rede de laboratórios de referência COVID-19 da OMS, representantes de GISAID, Nextstrain, Pango e especialistas adicionais em virológica, nomenclatura microbiana e comunicação de vários países e agências devem considerar rótulos fáceis de pronunciar e não estigmatizantes”, disse a OMS.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!