Mercado abrirá em 9 h 33 min
  • BOVESPA

    120.348,80
    -3.132,20 (-2,54%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.892,28
    -178,62 (-0,39%)
     
  • PETROLEO CRU

    51,95
    -0,41 (-0,78%)
     
  • OURO

    1.824,80
    -5,10 (-0,28%)
     
  • BTC-USD

    36.017,00
    +314,07 (+0,88%)
     
  • CMC Crypto 200

    701,80
    -33,35 (-4,54%)
     
  • S&P500

    3.768,25
    -27,29 (-0,72%)
     
  • DOW JONES

    30.814,26
    -177,24 (-0,57%)
     
  • FTSE

    6.735,71
    -66,25 (-0,97%)
     
  • HANG SENG

    28.626,39
    +52,53 (+0,18%)
     
  • NIKKEI

    28.307,39
    -211,79 (-0,74%)
     
  • NASDAQ

    12.764,00
    -38,25 (-0,30%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3853
    -0,0073 (-0,11%)
     

Variante sul-africana do coronavírus não é mais perigosa que a britânica, diz ministro

·1 minuto de leitura
Teste de covid-19 em centro médico de Pretória, África do Sul

O ministro sul-africano da Saúde, Zwelini Mkhize, defendeu, em resposta a seu colega britânico, que não há provas de que a nova cepa do coronavírus identificada na África do Sul é mais perigosa ou contagiosa que a variante registrada no Reino Unido.

"Atualmente, não há provas de que a 501.V2 seja mais contagiosa que a variante do Reino Unido, como sugeriu o ministro britânico da Saúde", afirmou Zwelini Mkhize em um comunicado.

"Também não há evidências de que esta provoque uma forma mais grave da doença ou aumente a mortalidade, em comparação com a variante do Reino Unido ou quaisquer das mutações identificadas em todo o mundo", acrescentou.

Na quarta-feira, o ministro britânico da Saúde, Matt Hancock, disse que uma nova forma do vírus detectada na África do Sul era "altamente preocupante, porque é mais contagiosa e parece ter sofrido mais mutação que a identificada no Reino Unido", e anunciou restrições de viagens entre os dois países.

As declarações "podem ter criado a percepção de que a variante sul-africana foi um fator importante na segunda onda no Reino Unido, o que não é o caso", destacou Zwelini Mkhize em seu comunicado de Natal.

Os elementos da pesquisa demonstram que a mutação britânica se desenvolveu antes da sul-africana, acrescentou.

O ministro sul-africano lamentou a decisão de proibir as viagens entre o Reino Unido e seu país. "Não há elementos que demonstrem que a cepa sul-africana é mais patógena que a cepa britânica", insistiu.

A África do Sul, país mais afetado do continente com 26.000 mortos, registrou mais de de 14.000 casos nos últimos dois dias, contra a média de entre 8.000 e 10.000 no início da semana.

ger/ia/msr/bc/fp