Mercado fechado
  • BOVESPA

    121.113,93
    +412,93 (+0,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.726,98
    +212,88 (+0,44%)
     
  • PETROLEO CRU

    63,07
    -0,39 (-0,61%)
     
  • OURO

    1.777,30
    +10,50 (+0,59%)
     
  • BTC-USD

    55.147,27
    -5.938,06 (-9,72%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.398,97
    +7,26 (+0,52%)
     
  • S&P500

    4.185,47
    +15,05 (+0,36%)
     
  • DOW JONES

    34.200,67
    +164,67 (+0,48%)
     
  • FTSE

    7.019,53
    +36,03 (+0,52%)
     
  • HANG SENG

    28.969,71
    +176,61 (+0,61%)
     
  • NIKKEI

    29.683,37
    +40,67 (+0,14%)
     
  • NASDAQ

    14.024,00
    +10,00 (+0,07%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6943
    -0,0268 (-0,40%)
     

Variante P1 já domina casos confirmados de Covid-19 em Araraquara, aponta estudo

·1 minuto de leitura
Araraquara, no interior de SP, entrou em lockdown, com fechamento de lojas e restaurantes, para tentar conter propagação da variante -  Foto: Prefeitura Municipal de Araraquara
Araraquara, no interior de SP, entrou em lockdown, com fechamento de lojas e restaurantes, para tentar conter propagação da variante - Foto: Prefeitura Municipal de Araraquara

Um estudo do Instituto de Medicina Tropical da Universidade de São Paulo (IMT-UP) detectou a variante brasileira do novo coronavírus P.1 em 93% dos casos analisados em Araraquara, no interior de São Paulo. 

Os resultados preliminares apontam que a variante, identificada pela primeira vez em Manaus (AM), já domina o município. Até o momento, são 29 casos confirmados. 

Leia também

Autoridades na cidade acreditam que a variante tenha relação com a explosão de casos, internações e mortes por Covid-19 no local. Araraquara enfrenta medidas de restrição desde o dia 21 de fevereiro na tentativa de frear a propagação da variante. 

Na última terça-feira (3), Araraquara registrou mais sete óbitos e chegou a 224, sendo mais 115 novos casos (totalizando quase 15 mil). 

O estudo da USP analisou 57 amostras coletadas de pacientes que tiveram casos confirmados entre 25 de janeiro e 23 de fevereiro em uma UBS (Unidade Básica de Saúde) da cidade.

“Até 17 de fevereiro ainda encontramos alguns casos de infecção por outras linhagens. A partir daí foi tudo P.1.”, afirmou a coordenadora da investigação, Camila Romano, em entrevista à Agência Fapesp.

A variante é considerada cerca de duas vezes mais transmissível que a mais recorrente no país. O estudo faz parte de um projeto apoiado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp). O intuito é avaliar a transmissão domiciliar do novo coronavírus em Araraquara.