Mercado fechado
  • BOVESPA

    123.576,56
    +1.060,82 (+0,87%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.633,91
    +764,43 (+1,50%)
     
  • PETROLEO CRU

    70,44
    -0,82 (-1,15%)
     
  • OURO

    1.813,30
    -8,90 (-0,49%)
     
  • BTC-USD

    38.006,50
    -739,85 (-1,91%)
     
  • CMC Crypto 200

    928,35
    -15,09 (-1,60%)
     
  • S&P500

    4.423,15
    +35,99 (+0,82%)
     
  • DOW JONES

    35.116,40
    +278,24 (+0,80%)
     
  • FTSE

    7.105,72
    +24,00 (+0,34%)
     
  • HANG SENG

    26.194,82
    -40,98 (-0,16%)
     
  • NIKKEI

    27.641,83
    -139,19 (-0,50%)
     
  • NASDAQ

    15.043,75
    +91,00 (+0,61%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1613
    +0,0172 (+0,28%)
     

Variante Delta pode aumentar casos de COVID-19 no Brasil, alertam especialistas

·2 minuto de leitura

A Variante Delta tem gerado preocupações, principalmente depois de ser responsável pelo aumento no número de casos de COVID-19 na Europa. E segundo especialistas, há possibilidade de um aumento nos casos do Brasil justamente por conta da variante em questão.

De acordo com a epidemiologista Denise Garrett, vice-presidente do Sabin Institute, é urgente lidar com a variante antes que se espalhe, por isso não dá tempo de ficar escolhendo o imunizante. Para a especialista, a atual queda do número de casos abre espaço para um relaxamento das regras, quando na realidade deveria ser usado para uma melhor preparação contra a nova cepa.

Por enquanto, a situação da variante Delta no Brasil envolve 15 casos, confirmados entre 20 de maio e 6 de julho, de acordo com o próprio Ministério da Saúde: seis em um navio que esteve na costa do Maranhão, três no Rio de Janeiro, um em Minas Gerais, dois no Paraná, dois em Goiás e um em São Paulo.

(Imagem: Fernando Zhiminaicela/Pixabay)
(Imagem: Fernando Zhiminaicela/Pixabay)

O governo britânico já chegou a divulgar que a variante Delta pode ser até 40% mais transmissível. Mas o virologista Paulo Eduardo Brandão, da Universidade de São Paulo (USP) aponta que não dá para ter certeza ainda se ela é mais transmissível ou foi mais transmitida, uma vez que aglomerações podem ter causado uma avalanche mesmo que ela não tivesse todo esse potencial. O especialista alerta que a vigilância genômica molecular, ou seja, a rede que identifica mutações, é insuficiente, e não sabemos quantas variantes circulam em nosso território.

O Ministério da Saúde afirma que todos os “casos confirmados [da variante Delta] estão isolados e os contatos são monitorados pelas equipes de Vigilância Epidemiológica e Centro de Informações Estratégicas em Vigilância e Saúde (CIEVS) locais, conforme orientação do Guia Epidemiológico da COVID-19”.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos