Mercado fechado
  • BOVESPA

    114.428,18
    -219,81 (-0,19%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.686,03
    -112,35 (-0,21%)
     
  • PETROLEO CRU

    82,29
    +0,01 (+0,01%)
     
  • OURO

    1.764,80
    -3,50 (-0,20%)
     
  • BTC-USD

    61.299,66
    +1.366,38 (+2,28%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.430,53
    -21,11 (-1,45%)
     
  • S&P500

    4.486,46
    +15,09 (+0,34%)
     
  • DOW JONES

    35.258,61
    -36,15 (-0,10%)
     
  • FTSE

    7.203,83
    -30,20 (-0,42%)
     
  • HANG SENG

    25.409,75
    +78,75 (+0,31%)
     
  • NIKKEI

    29.025,46
    +474,56 (+1,66%)
     
  • NASDAQ

    15.288,75
    +154,25 (+1,02%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3905
    -0,0133 (-0,21%)
     

Variante Delta faz covid-19 avançar em Israel, país modelo em imunizações

·1 minuto de leitura

Nesse momento, Israel tem sido um verdadeiro exemplo mundial de vacinação contra a covid-19. No fim de fevereiro, 50% da população israelense já havia tomado pelo menos uma dose da vacina, e atualmente, 63% da população israelense se encontra totalmente imunizada. Entretanto, o país vem enfrentando um aumento no número de casos da doença, mesmo em meio a esse cenário. A questão que fica é: por que isso tem acontecido?

Uma das principais causas apontadas pelos especialistas é a variante Delta, que por ser mais infecciosa, acaba afetando o nível de proteção da vacina (embora o imunizante continue sendo altamente eficaz contra a forma mais grave da doença, ainda assim).

Os cientistas também mencionam a queda da imunidade gerada pela vacina da Pfizer, inicialmente o único imunizante administrado no país. O nível de proteção individual é de 30% a 40% de cinco a seis meses após a vacinação, comparado com a proteção de mais de 90% logo após a vacinação. Vale ressaltar que, apesar dessa queda, a vacinação ainda previne um número significativo de casos graves.

(Imagem: kjpargeter/Freepik)
(Imagem: kjpargeter/Freepik)

Segundo levantamentos, quase 60% das hospitalizações em Israel são de pessoas totalmente vacinadas. Outro fator mencionado pelos especialistas é a rapidez com que Israel interrompeu as medidas restritivas para controlar a pandemia. Mas a situação em Israel pode mudar em breve, uma vez que uma terceira dose foi oferecida para a população.

Em suma, os cientistas acham que a exposição repetida à infecção por covid-19 pode com o tempo transformar o vírus em uma doença potencialmente recorrente, mas com poucos efeitos graves.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos