Mercado fechado
  • BOVESPA

    117.669,90
    -643,33 (-0,54%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.627,67
    -560,48 (-1,16%)
     
  • PETROLEO CRU

    59,34
    -0,26 (-0,44%)
     
  • OURO

    1.744,10
    -14,10 (-0,80%)
     
  • BTC-USD

    60.106,19
    +919,95 (+1,55%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.235,89
    +8,34 (+0,68%)
     
  • S&P500

    4.128,80
    +31,63 (+0,77%)
     
  • DOW JONES

    33.800,60
    +297,03 (+0,89%)
     
  • FTSE

    6.915,75
    -26,47 (-0,38%)
     
  • HANG SENG

    28.698,80
    -309,27 (-1,07%)
     
  • NIKKEI

    29.768,06
    +59,08 (+0,20%)
     
  • NASDAQ

    13.811,00
    +63,25 (+0,46%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7625
    +0,1276 (+1,92%)
     

Variante com mais mutações identificada em viajantes da Tanzânia

Antony Sguazzin
·2 minuto de leitura

(Bloomberg) -- Uma variante com o maior número de mutações do coronavírus identificado até agora foi encontrada em viajantes da Tanzânia, o que leva cientistas a pedirem maior monitoramento em um país que tem ignorado medidas de combate à pandemia.

Um relatório enviado à Organização Mundial da Saúde e órgãos regionais mostra que a cepa tem dez mutações a mais do que qualquer outra versão, segundo o brasileiro Túlio de Oliveira, diretor do Krisp, instituto científico que realiza testes genéticos para dez países africanos. O Krisp, que no ano passado descobriu a cepa na África do Sul responsável pelo ressurgimento dos casos de Covid-19 no país, identificou a nova variante em viajantes em Angola vindos da Tanzânia.

“É potencialmente de interesse”, disse Oliveira em entrevista na sexta-feira.

Variantes do coronavírus têm causado preocupação ao redor do mundo. A primeira variante identificada na África do Sul, chamada de 501Y.V2, se mostrou mais contagiosa e mais resistente a algumas vacinas. Nenhum estudo foi realizado ainda sobre a versão encontrada em três viajantes da Tanzânia para determinar se a variante é mais transmissível ou mais grave do que outras cepas.

A versão recém-descoberta será cultivada em laboratórios do Krisp e testada para verificar com que facilidade evita os anticorpos, disse Oliveira. A variante vem de uma linhagem do vírus identificada pela primeira vez na China, enquanto muitos outras tiveram origem na Europa.

Sob o comando do presidente John Magufuli, que faleceu recentemente, a Tanzânia parou de divulgar dados sobre casos de coronavírus e abriu a economia, como a ilha de Zanzibar, que atrai turistas estrangeiros. A postura de Magufuli atraiu críticas de países vizinhos e da OMS, pois relatos sugerem que muitas pessoas no país contraíram a doença.

Samia Suluhu Hassan, sucessora de Magufuli, ainda não indicou se mudará suas políticas.

“Este pode ser um grande alerta para a Tanzânia”, disse Oliveira.

For more articles like this, please visit us at bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2021 Bloomberg L.P.