Mercado fechado
  • BOVESPA

    106.363,10
    -56,43 (-0,05%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.714,60
    -491,99 (-0,94%)
     
  • PETROLEO CRU

    81,34
    -1,32 (-1,60%)
     
  • OURO

    1.797,30
    -1,50 (-0,08%)
     
  • BTC-USD

    58.659,41
    -2.141,48 (-3,52%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.403,10
    -71,23 (-4,83%)
     
  • S&P500

    4.551,68
    -23,11 (-0,51%)
     
  • DOW JONES

    35.490,69
    -266,19 (-0,74%)
     
  • FTSE

    7.253,27
    -24,35 (-0,33%)
     
  • HANG SENG

    25.628,74
    0,00 (0,00%)
     
  • NIKKEI

    28.807,65
    -290,59 (-1,00%)
     
  • NASDAQ

    15.618,75
    +31,50 (+0,20%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4182
    -0,0065 (-0,10%)
     

Varejo e serviços estimam abrir 105 mil vagas de emprego até dezembro

·2 minuto de leitura
Foto: Reprodução da internet.
Foto: Reprodução da internet.
  • Esperam-se cerca de 105 mil novas vagas até dezembro;

  • 69% dos empresários pretendem contratar para suprir a demanda que o período pede;

  • A média salarial esperada é de R$ 1.463, com maior parte da jornada de trabalho entre 6h e 8h.

Com o final do ano chegando e as comemorações se aproximando, o setor de varejo e serviços se prepara para o momento crucial de vendas com a contratação de novos trabalhadores. De acordo com a Confederação Nacional de Dirigentes Lojista (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), em conjunto o Sebrae, esperam-se cerca de 105 mil novas vagas até dezembro.

No levantamento, 69% dos empresários que pretendem contratar procuram se preparar para a demanda que o período costuma pedir. A porcentagem apresenta, contudo, uma diminuição de 19 pontos percentuais com relação ao final de 2019. Enquanto isso, 14% têm preferência em melhorar a qualidade dos seus serviços.

Leia também:

Entre os empresários que não contratarão, os motivos variam entre: achar que o aumento da demanda não será significativo a ponto de justificar contratações; não ter verba para contratar; e considerar os encargos trabalhistas muito altos, assim como estarem inseguros quanto ao histórico de vendas do ano até o momento. 

Muitos empresários contratarão temporariamente, sem carteira assinada, e grande parte pretende contratar apenas um ou dois funcionários.

Segundo as formas de contratação das empresas, 57% abrirão vagas informais, 47% registrados em carteira de trabalho e 18% recorrerão à mão de obra terceirizada.

Em relação ao perfil dos profissionais, as empresas têm preferência pelas mulheres. Ainda assim, as empresas afirmam que a questão do gênero não é relevante. Mais da metade das empresas prefere jovens entre 18 e 34 anos, com a faixa etária média de 28 anos.

Já a média salarial esperada é de R$ 1.463, enquanto a jornada de trabalho será majoritariamente concentrada entre 6h e 8h diárias.

Os meses mais movimentos para contratação serão outubro e novembro. Entre a variedade de cargos, as mais demandadas serão de vendedor, ajudante e balconistas.

As informações são do jornal O Dia.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos