Mercado fechará em 6 h 36 min
  • BOVESPA

    99.137,78
    -483,80 (-0,49%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.061,61
    -373,84 (-0,77%)
     
  • PETROLEO CRU

    108,98
    -0,80 (-0,73%)
     
  • OURO

    1.821,90
    +4,40 (+0,24%)
     
  • BTC-USD

    19.204,29
    -901,97 (-4,49%)
     
  • CMC Crypto 200

    411,17
    -28,49 (-6,48%)
     
  • S&P500

    3.818,83
    -2,72 (-0,07%)
     
  • DOW JONES

    31.029,31
    +82,32 (+0,27%)
     
  • FTSE

    7.157,65
    -154,67 (-2,12%)
     
  • HANG SENG

    21.859,79
    -137,10 (-0,62%)
     
  • NIKKEI

    26.393,04
    -411,56 (-1,54%)
     
  • NASDAQ

    11.540,00
    -151,00 (-1,29%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4734
    +0,0628 (+1,16%)
     

'Vão pagar pra mim?': saiba por que boletos virtuais têm senha

Medida dos boletos visa garantir a segurança e a privacidade dos consumidores
Medida dos boletos visa garantir a segurança e a privacidade dos consumidores (Getty Image)
  • Internautas questionaram no Twitter a necessidade do uso de senhas em faturas dos boletos

  • Dispositivo tem como objetivo evitar golpes e vazamento de informações

  • No Brasil, é proibido ler correspondência alheia

Existe uma frase antiga na internet que diz: a vida é nascer, pagar boleto e morrer. Talvez seja por isso que um tuiteiro ficou indignado ao constatar que precisava digitar a senha para acessar o papel de pagamento virtual.

"O que os outros vão fazer se abrirem no meu lugar? Vão pagar pra mim?", questionou o influenciador verificado. Apesar de parecer uma burocracia desnecessária, o recurso é uma forma de garantir a privacidade e a segurança digital dos clientes.

Ao pedir que o consumidor coloque uma senha antes de abrir uma fatura, as empresas dificultam que as pessoas erradas acessem as informações disponíveis no documento.

Dados como nome, números de documentos, endereço e outras informações pessoais podem estar expostos na cobrança. Além disso, é possível identificar padrões de consumo e médias de gastos. Com essas informações, criminosos conseguem replicar o boleto, o que facilita a aplicação de golpes.

Caso o e-mail seja hackeado ou consigam clonar um número de celular, fica mais difícil acessar esses dados sigilosos, evitando que o usuário receba uma fatura adulterada e realize o pagamento para golpistas.

Outro fator importante é a privacidade. No Brasil, é proibido abrir correspondência alheia. "O legislador brasileiro também considera criminosa a conduta tanto daquele que se apossa indevidamente de correspondência alheia (ainda que aberta) quanto de quem a sonega ou a destrói", diz o artigo 151, §1º, inc. I do C.P.

A inviolabilidade e o sigilo da correspondência são direitos assegurados pela constituição. Isso quer dizer que nenhuma pessoa tem o direito de saber com o que você gasta, quanto gasta ou como gasta.

Ou seja, ninguém está interessado em pagar os seus boletos. As empresas apenas criam barreiras para evitar que o consumidor pague a fatura de pessoas mal-intencionadas sem perceber.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos